Publicidade
Entretenimento
LITERATURA

Romances eróticos de escritora brasileira serão adaptados para a TV

Professora de História no Rio de Janeiro, Nana Pauvolih deixou as salas de aula de lado ao começar a publicar seus contos eróticos na internet em 2012, incentivada por uma amiga 14/04/2018 às 17:04
Show bv0115 2f
Foto: Divulgação
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Em 2011, o sucesso literário "Cinquenta Tons de Cinza", da britânica E.L James, lançou uma tendência mundial em revelar autores do gênero além de criar um público que aprecia o universo da literatura erótica no mundo. No Brasil não foi diferente. Atualmente, nomes como Janaina Rico, LM Gomes e Nana Pauvolih se destacam no mercado editorial desse segmento. Recentemente, a TV Globo adquiriu os direitos da trilogia "Redenção" de Nana Pauvolih e suas histórias devem ganhar as telinhas brasileiras nos próximos anos.

Professora de História no Rio de Janeiro, Nana Pauvolih deixou as salas de aula de lado ao começar a publicar seus contos eróticos na internet em 2012, incentivada por uma amiga. Hoje, embrenhada nas anotações, papeis e livros, Nana comemora a nova aquisição da emissora de TV carioca. 

"Fiquei muito feliz, pois sou a primeira autora brasileira de romances eróticos da atualidade a chamar a atenção de uma grande emissora como a Globo. Para mim, significa que o trabalho sério é apreciado pelos meus leitores. Quando soube que Redenção ia ser adaptada, senti como se mais uma oportunidade de mostrar meu trabalho surgisse. Estou feliz e esperançosa com essa aquisição", comenta Nana, em conversa com o BEM VIVER TV.

Desde 2013, Nana se dedica profissionalmente apenas à literatura. Ela deixou seus alunos órfãos, mas ganhou milhares de "nanetes", apelido carinhoso que ela deu aos seus fãs. 

"Tenho horário para sentar e trabalhar. Gostaria de dizer que sou organizada para tudo, mas não é o caso. Entretanto, em relação ao meu trabalho, que amo demais, sou muito responsável", conta. "Estou sempre trabalhando, divulgando, conversando com fãs, blogueiros, pessoas que me procuram, entrando em grupos de leituras, nos meus grupos. Acabo de escrever um livro e já começo a organizar tudo para o próximo. Tem também lançamentos, viagens, períodos de pesquisas, cursos que às vezes ministro. Mas dá tempo, é só realmente me organizar. E o melhor é que, amando o que faço, parece que nem estou trabalhando e sim me divertindo", complementa.

Amor de fã
A relação da autora com seus seguidores já ultrapassou qualquer tipo de barreira que a fama propõe, segundo a autora. "Minha relação com as minhas ‘nanetes’ e ‘os nanetes’, pois o número de leitores homens aumenta cada vez mais, é íntima, pessoal e de amizade. Eles me acompanham, me apoiam e são multiplicadoras, pois divulgam  meu trabalho. Tenho grupos onde participamos e brincamos, conversamos, trocamos informações, muitas vezes íntimas. Para mim, as nanetes são amigas. E felizmente essas amizades crescem cada vez mais. Há uma troca mútua de carinho e de respeito", afirma.

Inspiração
Durante a adolescência, Nana conta que gostava de ler poesias, além das publicações "Sabrina" e "Bianca", por exemplo, séries de romances vendidos em bancas de jornais. A inspiração e a experiência fez com que a autora acumulasse diversos manuscritos, que ela os manteve guardados até ser encorajada a publicá-los, em 2012. Hoje, ela vê com naturalidade a produção de seu trabalho e sonha em desmistificar o romance erótico no país. 

"Vivo inspirada, pois é muito natural e fácil escrever. Basta algo chamar minha atenção, um personagem ou enredo surgir, eu sento e escrevo. As cenas eróticas são consequências de tudo isso", revela. "As pessoas ainda tem preconceito com o romance erótico, acham que não podem ter qualidade e quero mostrar o contrário. Mesmo o livro sendo hot, ele precisa de um bom conteúdo, um assunto que prenda a atenção e personagens marcantes", destaca.

Próximos passos
Seu livro "Chantagem", publicado pela Rico Editora irá ganhar uma edição em quadrinhos. Ela também irá lançar outra obra pela editora, "Tudo por ele", na Bienal de São Paulo. "Acabei de um livro sobre um paraplégico, que postei de graça em plataforma de leitura e teve mais de 2 milhões de leituras. Se chama ‘Além do Olhar’. Mesmo assim, relancei esta semana o e-book na Amazon e está em primeiro lugar como mais vendido e muitas páginas lidas. Além do Olhar foi para as mãos de minha agente, Luciana Villas-Boas, que vai apresentar às editoras", adianta.
 

Publicidade
Publicidade