Publicidade
Entretenimento
Vida

Conheça os benefícios dos alimentos comuns na Páscoa

Ao contrário do que pode-se imaginar, mas nesse período de festas, com todas essas comidas típicas, na Páscoa você também pode comer muita coisa saudável, inclusive o chocolate, segundo especialistas, ele não é mais aquele vilão de antes. Aproveite as novas receitas 07/04/2012 às 10:25
Show 1
Iguarias deliciosas que deem ser comidas nesta Páscoa
UOL Manaus

A Páscoa parece sinônimo de guloseimas e calorias, mas as comidas típicas dessa época podem, sim, ser muito saudáveis. Mesmo o chocolate, tido como um grande vilão, ajuda a melhorar o funcionamento do sistema circulatório. Mas, é claro, o melhor é consumir com moderação. Confira:

Saúde na mesa de Páscoa
Bacalhau
“O bacalhau é um peixe que mantém suas propriedades nutricionais conservadas mesmo após passar pelo processo de salga e secagem, pois isso é feito sem adição de substâncias químicas”, diz Roberta Soriano. O peixe, portanto, permanece rico em vitaminas A, B1, D, E, niacina e minerais como o zinco, fósforo, ferro e magnésio, e ainda apresenta baixa quantidade de colesterol. O único porém do bacalhau, afirma Ribas Filho, pode ser o excesso de sódio. “Antes de consumi-lo é preciso retirar bem o sal, deixando bastante tempo de molho”, recomenda.

Peixes, em geral, são excelentes fontes de proteína e ainda são de fácil digestão. O consumo daqueles ricos em gorduras poli-insaturadas (ômega-3) traz ainda mais benefícios. “Peixes com ômega-3, como salmão, arenque, cavala, cavalinha e sardinha, propiciam a diminuição de doenças coronarianas e o aumento dos níveis de HDL (bom colesterol) e LDL (mau colesterol), prevenindo infartos. Também melhoram o controle imunológico nas reações inflamatórias”, afirma Soriano.

Alho
"É riquíssimo em selênio e zinco, minerais antioxidantes envolvidos no funcionamento do sistema imunológico", garante a nutricionista Roberta Soriano. Possui ainda grande quantidade de alicina, substância quem tem ação antimicrobiana e ajuda na prevenção do câncer de estômago e de doenças cardiovasculares, por tornar os vasos sanguíneos mais flexíveis e dificultar a formação de placas.

Azeite
O azeite de oliva extravirgem é rico em um tipo de gorduras -as monoinsaturadas- que são supersaudáveis. “Elas ajudam a manter um bom nível de colesterol total e HDL (colesterol bom), essencial para o bom funcionamento do organismo, além de diminuir o colesterol que denominamos ruim, o LDL”, afirma a nutricionista Roberta Soriano. Mas o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), lembra que é preciso ter atenção na hora da compra. “Procure produtos com nível de acidez menor que 0,7%, o que indica sua pureza.”

Cebola
Segundo a nutricionista, a cebola apresenta propriedades nutricionais comprovadas, como redução do colesterol total e o aumento do colesterol HDL (bom colesterol). Participa, também, da redução da pressão arterial e evita a formação de coágulos sanguíneos devido à presença da substância quercitina, um agente antioxidante. “São tantos benefícios que faz parte da listinha de alimentos que chamamos de ‘funcionais’”, diz Ribas Filho.

Ovo cozido
Traz boa concentração de ácido fólico, vitamina que combate anemia, reduz risco de Mal de Alzheimer e ajuda na prevenção de doenças cardíacas. "A clara é rica em proteína; a gema, em gordura. Por isso, é um alimento que pode ser usado como substituto da carne", afirma Roberta Soriano. Mas a quantidade diária não deve ser maior do que uma unidade, por conta do alto nível de colesterol.

Pimentão
Não importa se são vermelhos, verdes ou amarelos. Os pimentões de todas das cores são alimentos com propriedades antioxidantes, pequena quantidade de calorias e ricos em vitaminas A, C e E. “É um poderoso aliado contra a fadiga, o envelhecimento precoce e as doenças degenerativas, como câncer. Essa característica antioxidante do pimentão deve-se à presença de um composto chamado capsaicina”, afirma a especialista.

Tomate
“O alimento é rico em licopeno, tem poucas calorias e serve como grande fonte das vitaminas A, B e C, e em sais minerais como fósforo, ferro, potássio e magnésio”, diz Roberta Soriano. Ela explica que o licopeno, encontrado em maior quantidade nos tomates mais vermelhos, é uma substância antioxidante, que ajuda a impedir danos às células, combatendo o câncer de próstata e, também, o envelhecimento.

Chocolate
“Chocolate com alto teor de cacau tem efeitos muito benéficos para o sistema circulatório”, afirma o nutrólogo. Segundo ele, o cacau presente no chocolate evita a formação de placas bloqueadoras nas artérias -“é como se afinasse o sangue”, explica- e ajuda a baixar a pressão sanguínea. Para completar, o chocolate ainda age no cérebro, proporcionando uma sensação de alegria. Quanto mais alta a porcentagem de cacau, maiores os benefícios.

Oleaginosas
Todos os tipos de oleaginosas, categoria que inclui castanhas, nozes, amêndoas e avelãs, são fontes de selênio e vitamina E, importantes para o bom funcionamento do organismo. As frutas secas também são alimentos saudáveis, pois mantêm benefícios semelhantes às frutas "in natura". Na colomba pascal, no entanto,  a quantidade desses elementos não é significante para compensar a farinha e o açúcar, alerta a nutricionista Roberta Soriano. "Pode-se comer, claro, mas em pequenas quantidades, porque a colomba é hipercalórica. No processo de refinamento, farinha e açúcar branco perdem todas as vitaminas, minerais e fibras."

Pão
Alimento popular durante o ano todo, o pão é fonte de energia devido aos carboidratos de sua composição, tornando-se um importante combustível das células nervosas, explica a nutricionista. “Há uma variedade muito grande de pães e devemos optar pelos integrais. São ricos em fibras e proporcionam melhora no trânsito intestinal, diminuição do esvaziamento gástrico com prolongamento da saciedade e redução da absorção do colesterol e da glicose”, afirma Roberta Soriano.

Vinho
“O consumo moderado de vinhos tem efeito cardioprotetor devido à grande quantidade de resveratrol, poderoso antioxidante que aumenta os níveis do colesterol HDL e reduz os níveis de pressão arterial”, afirma a  nutricionista. Mas, para que a bebida traga tais benefícios, atenção: é preciso que o vinho seja tinto e seco.