Publicidade
Entretenimento
Vida

Conheça os benefícios e riscos do consumo do café

Muitas pesquisas revelam fatores positivos para quem bebe café, enquanto outras alertam para os perigos do consumo exagerado. Saiba o que é mito e o que é verdade 07/02/2012 às 13:03
Show 1
O consumo exagerado de café pode acarretar prejuízos ao organismo
acritica.com ---

Tem quem não saia de casa sem tomar uma xícara de café, outros quem não conseguem trabalhar sem 'visitar' a cafeteira do escritório, mas também aqueles que preferem evitar a bebida durante a noite, com medo da insônia. Polêmicas e mitos à parte, muitos são os benefícios da bebida, mas o consumo exagerado pode revelar problemas e comprometer a saúde. Conheça alguns efeitos do café no organismo e tire suas dúvidas:

Insônia

O consumo de cafeína bloqueia a ação de um componente químico do cérebro, que é responsável por determinar a necessidade de sono e despertar a vontade de dormir. Como os efeitos da cafeína persistem por quatro a até seis horas após o consumo, é preciso tomar cuidado para que o café não resulte na dificuldade para dormir, especialmente para as pessoas que já têm problema de insônia.

Câncer de útero

Mulheres que tomam muito café têm menos chance de desenvolver câncer de útero. Estudo realizado pelo Ministério da Saúde do Japão concluiu que o grupo que tomou mais de três xícaras diariamente, tinha 60% menos de chance de desenvolver o câncer do que aquele que tomava café menos de duas vezes por semana.

Atividades físicas

Segundo o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia, a cafeína também diminui a fadiga e melhora o rendimento do atleta. "Graças ao aumento de disposição, o aluno treina mais pesado e ganha mais massa muscular", explica o médico.  

Mas a cafeína acelera apenas a perda de gordura, e não o ganho de massa muscular. Isso acontece porque o café é uma bebida termogênica, ou seja, tem capacidade de aumentar o metabolismo basal e obrigar o corpo a gastar mais energia.

Depois do almoço

Os adeptos daquele cafezinho depois do almoço têm 34% menos risco de desenvolver diabetes tipo 2, concluiu um estudo francês. Fora desse horário, no entanto, não houve redução no risco. “Se o café for consumido após o almoço e o jantar, compete com vitamina C e ferro”, explica a nutricionista Daniela Jobst.

Câncer endometrial

Beber mais de quatro xícaras de café por dia durante um período prolongado de tempo reduz em 25% o risco de desenvolver câncer endometrial, enquanto beber entre duas e três xícaras rebaixa o risco em 7%, aponta um estudo da Universidade de Harvard. A pesquisa destaca os benefícios do café, mas recomenda cuidado especial com o açúcar e o creme ou chantilly.

Câncer de pele

O consumo diário de café reduz o risco de desenvolver basalioma, forma de câncer de pele mais frequente, segundo estudo publicado nos Estados Unidos. Segundo os autores do estudo, as mulheres que bebem mais de três xícaras de café por dia têm reduzido em 20% o risco de desenvolver basalioma, em comparação com aquelas que consomem pouco ou nenhum café.

Para os homens, o consumo de três xícaras de café por dia reduz em 9% o risco de desenvolver câncer de pela. Os motivos desse menor benefício ainda são desconhecidos. 

Colesterol

Os especialistas orientam evitar o consumo do expresso, que possui cafestol, capaz de elevar os níveis de colesterol - essa substância sequestra os receptores do intestino responsáveis por manter essas taxas estáveis. Quando o café é coado, essas substâncias ficam retidas no filtro de papel e o efeito é cortado.

Crianças e gestantes

As crianças podem tomar café, desde que não ultrapassem 45mg/dia (cerca de meia xícara). O sistema neurológico infantil é mais sensível e o excesso de cafeína pode prejudicá-lo. "Mas, mantido este cuidado, o café pode aumentar a concentração e a disposição mental, ajudando crianças com déficit de atenção", afirma o nutrólogo Roberto Navarro.

Embora o consumo de cafeína não esteja relacionado à má formação ou retardo do crescimento uterino, o ideal é que a gestante não consuma quantidades muito altas de cafeína, sendo o limite seguro de 300mg/dia, isso por que o consumo excessivo de café pode levar à perda de peso da gestante e do feto.

A quantidade acima do recomendado pode trazer riscos, como:

- Elevação da pressão arterial (pessoas hipertensas devem evitar consumir mais de 500mg/ dia de cafeína por dia);
- Arritmia cardíaca: a cafeína aumenta a freqüência cardíaca;
- Piora de quadros gástricos, como refluxo e gastrite, porque a cafeína irrita o sistema digestivo, principalmente quando o consumo é em jejum;
- Dificuldade para absorção do cálcio, pois a cafeína reduz a absorção intestinal desse mineral, contribuindo para o aparecimento da osteoporose.


Fonte: Uol Comportamento/VyaEstelar