Publicidade
Entretenimento
Vida

Conheça um pouco mais sobre as Interações energéticas

Você já se sentiu mal após encontrar ou mesmo falar ao telefone com alguém? Saiba como identificar os chamados “vampiros energéticos” 16/07/2012 às 08:42
Show 1
Interações energéticas podem ser maléficas
Artur César ---

Quem não conhece um “seca - pimenteira”? Aquela pessoa que chega e deixa o ambiente carregado com a sua simples presença. Mais comum do que você possa imaginar, essa figura que circula à solta pelas ruas de qualquer cidade é classificada como “vampiro energético” dentro da conscienciologia - ciência que estuda a consciência e suas diversas formas de manifestação. Membro voluntário do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), a cirurgiã dentista Maria Elaine Guimarães explica que a melhor maneira para sair incólume dessas experiências é saber equilibrar suas energias de forma favorável para si e também para o ambiente.

“A grande maioria das pessoas não sabe da existência do corpo energético. Ele atua o tempo todo, tanto no corpo físico da gente quanto na interação com as pessoas e os ambientes. O tempo todo nós estamos exteriorizando nossas energias, que chamamos de consciencial”, observa Maria Elaine. O problema dos “vampiros energéticos” é que eles não conseguem segurar suas próprias energias e acabam absorvendo as das outras pessoas. “Inconscientemente as pessoas percebem que ela está fazendo isso e se afastam, mesmo não entendo nada de energia”, afirma a cirurgiã dentista.

Esses encontros podem deixar as “vítimas” bem baqueadas, inclusive com problemas físicos. Com 700 voluntários pelo mundo e 23 somente no Amazonas, o IIPC vem promovendo palestras gratuitas sobre o tema, quando são ensinadas técnicas para bloquear a ação desses seres indesejáveis. Trata-se de um trabalho longo, mas que serve para elevar nossa existência. “Não adianta ficar no Himalaia meditando, sem contato com ninguém. Você evolui em contato com as outras pessoas, melhorando a cada dia”, afirma a especialista. “Além do mais, não é possível carregar um pé de pimenta o tempo todo com você”, brinca Maria Elaine.

No caso, a planta é conhecida por segurar a energia negativa e é coqueluche em muitas residências e ambientes de trabalho. E não são somente pessoas que carregam essa pecha de negativas, há ambientes que podem deixar qualquer um doente, explica Maria Elaine. “Às vezes você chega a um ambiente e percebe que seu padrão está mudando. Não estava, mas começa a ficar irritado. É para pensar: será que não é o padrão daquele local que está forçando essa mudança?”, questiona.