Publicidade
Entretenimento
PRÉ-ROBÓTICA

Crianças aprendem brincando conceitos de mecatrônica em curso de pré-robótica

Aprendizado se dá por meio de atividades lúdicas. Aulas estimulam o raciocínio lógico e a resolução de problemas 14/11/2017 às 15:11 - Atualizado em 14/11/2017 às 16:28
Show 2
(Fotos: Divulgação)
Tiago Melo Manaus (AM)

Para uma geração que já nasce inserida nos meios tecnológicos, conceitos complexos de engenharia, componentes eletrônicos e programação de computadores não são mais um mistério reservado às salas de aula das universidades. E as crianças e adolescentes que queiram desbravar o campo da mecatrônica terão a oportunidade de dar o pontapé inicial nos estudos com o curso de pré-robótica, que acontece a partir do sábado (18), na Vila Hub (Avenida do Sol, 2 – Aleixo).

“A oportunidade é uma introdução ao curso completo de engenharia mecatrônica que nós oferecemos em cinco níveis”, explica a coordenadora Larissa Almeida da Escola Robôplay. Segundo ela, o curso é voltado para crianças de 6 e 7 anos e estimula o raciocínio lógico, o pensamento estratégico e a resolução de problemas. O valor do investimento é de R$ 350 e as aulas acontecem aos sábados (18 e 25 de novembro, 2 e 9 de dezembro).

Identificar o que são robôs, quais partes o compõem, suas funções, o que é programação, são apenas algumas das questões a serem levantadas no curso de pré-robótica. Apesar de parecer complexo para crianças de 7 anos, as aulas são todas lúdicas e utilizam brinquedos de montar, jogos, robôs e brincadeiras para estimular o aprendizado.
“Crianças já são engenheiros naturais, pois são fascinadas com a construção das coisas. Quando crianças aprendem engenharia em um ambiente escolar, adquirem vários aspectos comportamentais positivos como a resiliência, a habilidade de trabalhar em equipe e ainda chama a atenção para questões urgentes como energia e meio ambiente, tornando-os futuros cidadãos comprometidos”, explica a coordenadora.

De acordo com Larissa, a criação deste novo módulo se deu por conta dos pedidos de mães e pais de crianças mais novas, interessados em inscreverem seus filhos no curso regular. Larissa acredita que o ensino poderia ser expandido nas escolas do país e que a robótica auxiliaria os jovens no aprendizado de outras disciplinas, como física, matemática, biologia e geografia.

“A utilização de recursos tecnológicos na educação é um poderoso meio para não só motivar as aulas, mas também para gerir e disseminar conhecimento. A sobrecarga de informação que eles recebem nas aulas é tão grande, que a oportunidade de aplicar o conhecimento na prática ajuda a fixar os conceitos aprendidos”, afirma a coordenadora e professora de robótica.

 No Brasil, apesar do alto índice de analfabetismo tecnológico, a aplicação da Robótica Educacional nas escolas tem crescido, inclusive em escolas públicas tem se tornado uma prática cada dia mais comum, ressalta Larissa. 

“A engenharia exige que as crianças apliquem o que sabem sobre ciências e matemática - e sua aprendizagem é aprimorada como resultado. Ao mesmo tempo, como as atividades de engenharia são baseadas em tecnologias e problemas reais, elas ajudam as crianças a ver como disciplinas como matemática e ciência são relevantes para suas vidas”, concluiu Larissa.