Publicidade
Entretenimento
VIAGEM

Destino do momento: Lisboa é a 'nova Miami'

Portugal é o novo 'queridinho' dos brasileiros que querem passear, ou morar no exterior para estudar e trabalhar 17/07/2017 às 11:16
Victor Affonso Lisboa (PT)

As semelhanças entre Lisboa e Miami ficam cada vez mais evidentes: destinos para muitos turistas brasileiros, principalmente no verão pelas praias e opções de compras, além de reunirem restaurantes, museus e parques descolados, ambos lugares servem também como hubs para voos internacionais. Ultimamente, uma outra semelhança vem se destacando, que é a imigração brasileira, onde mais e mais pessoas deixam o Brasil em meio às atuais crises política, econômica e de segurança social em busca de qualidade de vida, educação de alto nível e remuneração em euro, uma moeda altamente valorizada.

Nestes primeiros seis meses de 2017, o número de brasileiros que deixaram o País já é maior do que o total do ano de 2016. Brasil é o país, inclusive, que mais contribui com imigrantes em Portugal. Tanta imigração fez nascer uma grande comunidade brasileira, já consolidada, composta por mais de 82,5 mil pessoas de um total de 388 mil estrangeiros residindo em Portugal, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. No entanto, associações de imigrantes reclamam de dificuldades na obtenção do visto correto, estimando que há cerca de 10 mil brasileiros à espera de legalização.

Os brasileiros que estão vindo para Portugal representam, atualmente, a terceira onda de imigração recente da ex-colônia, sendo que diferente das passadas, a maioria dos brasileiros está vindo já com qualificação e legalizado. O amazonense Danillo Simão Sampaio, de 27 anos, é um claro exemplo disto. Por ser de família com origem portuguesa, ele, que é advogado e assessor parlamentar, vem se motivando a morar em Portugal. “Meu processo de cidadania durou cerca de um ano e meio. Não foi fácil, existe muita burocracia, taxas e entraves que podem fazer muitos desistirem, mas deu tudo certo”, conta.

“Manaus apresenta um calor exacerbado, trânsito intenso, como muitas capitais brasileiras, e demasiados problemas sociais. Acredito que morar em Portugal irá exaurir esses problemas e viver melhor só vai depender do meu empenho”, diz. O advogado já está se planejando para tentar a vida na “terrinha” em julho de 2018, período em que começa o ano letivo nas instituições de ensino.

O salário mínimo, apesar de baixo, corresponde ao baixo custo de vida que Lisboa, e mais ainda o Porto, dispõem: dois dos mais baixos da União Europeia. A educação, além de ser de qualidade, também é barata: brasileiros geralmente pagam o mesmo valor que portugueses, por um acordo entre países lusófonos, o que chega a ser até 70% mais barato do que cursos na Alemanha, Holanda ou Inglaterra, por exemplo.

‘Excelente escolha’

Prestes a completar um ano em Lisboa, a mineira/brasiliense Amanda Salviano de Souza conta que escolheu viver em Portugal não só pela facilidade do idioma-comum, baixo custo de vida e segurança mas também “por indicações de professores da graduação, pois a maioria afirmou que Portugal seria uma excelente escolha para cursar mestrado na minha área de estudo, a Comunicação Organizacional”.

“O processo foi rápido. Participei da segunda fase da maioria das Universidades e, em cerca de dois meses, organizei os documentos necessários, regularizei a minha vinda e, em setembro do ano passado, cheguei a Portugal. Confesso que não foi nada muito planejado, mas sem o apoio financeiro e motivação da minha família dificilmente estaria morando fora”, ressalta Amanda, de 25 anos.

No início deste ano, a plataforma holandesa de emprego Hoffdkraan listou Lisboa como a melhor cidade para os freelancers viverem, com Porto figurando em décimo lugar no ranking. Amanda, formada em Relações Públicas, acredita que Portugal seja uma ótima escolha “para quem busca uma experiência internacional, educação de qualidade e uma vantagem competitiva no mercado de trabalho brasileiro, além de ser uma porta de entrada para outros países da Europa”.

Compras garantidas

Há opções de comprar para todos os gostos e bolsos, desde as chiques vitrines da Avenida da Liberdade, que conta com 1,2 quilômetro de lojas no naipe de Burberry, Louis Vuitton, Prada e Michael Kors, até a gigantesca e low-cost Primark, que sempre garante levar todos os viciados em compras à loucura. Completam a lista de opções a loja de departamento El Corte Inglés e redes como Bershka e Pull&Bear. Para quem ainda não se cansou, há o Freeport Fashion Outlet, com lojas de fábrica de marcas como Nike, Puma, Tommy Hilfiger, Armani, Guess, Hugo Boss e Levi’s.

Renascimento para o turismo

Mas se engana quem pensa que Portugal é um apenas um destino migratório. Na realidade, o país e principalmente sua capital renasceram há poucos anos, após uma forte crise, para ser o novo ponto turístico da Europa. Há opções de compras para todos os gostos e bolsos, desde as chiques vitrines da Avenida da Liberdade até a gigantesca e low-cost Primark, que sempre garante levar todos os viciados em compras à loucura.

No verão, o recomendável é aproveitar as quase 15 horas diárias de sol e as muitas opções de lazer que isso traz na imensa orla e passeios marítimos. Parques urbanos e jardins também são peças-centrais nos dias de calor, muitas vezes recebendo festivais de música gratuitos. Os portugueses, inclusive, adoram música e teatro brasileiros e não é raro Lisboa e Porto receberem shows e espetáculos do Brasil que reúnem milhares de pessoas. Para completar, os residentes em Portugal não pagam entrada em museus aos domingos e feriados e o que não faltam são opções gastronômicas para todos os paladares. Realmente, Lisboa já é a nova Miami.

BLOG Alessandro Barros, 26, mestrando

"Foram os atrativos acadêmicos e sociais que chamaram a atenção do alemão Alessandro Madeira Barros,filho de médico amazonense que emigrou para a Alemanha no fim da década de 1980. Com dupla cidadania, Alessandro lista o conjunto de coisas que o convenceram a viver em Lisboa: “Primeiro que a língua é o português, segundo que é o meio-termo entre o Brasil e a Europa, terceiro que a educa- ção daqui é boa e, por último, é um clima agradável. Ainda, o fato de eu poder praticar as três línguas em que sou fluente e gosto de falar (português, inglês e alemão) - já que meu mestrado é ministrado todo em inglês e composto por muitos alunos alemães - contribuiu para minha decisão. Por ser uma capital, Lisboa acaba por ter muita coisa para oferecer, mas ao mesmo tempo isso não influencia na segurança, ou seja, você se sente sempre à vontade."