Publicidade
Entretenimento
Vida

Dia Mundial do AVC alerta para o reconhecimento precoce da doença

Ainda que as consequências da doença, em alguns casos, sejam irreversíveis, é possível atentar para uma prevenção. Para isso, é necessário conhecer os sintomas que antecedem o AVC e garantir a qualidade de vida 29/10/2012 às 09:24
Show 1
O AVC é a segunda maior causa de morte no mundo, e acomete 7 milhões de pessoas por ano
acritica.com Manaus, AM

O Dia Mundial do AVC, que ocorre no dia 29 de outubro, serve de alerta para a população em geral, em relação ao que pode ser feito para a detecção prematura dos sintomas, e assim prevenir a doença. Popularmente conhecido como ‘derrame’, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é responsável pela segunda principal causa de óbito no mundo, onde, anualmente, morrem aproximadamente 7 milhões de pessoas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Na América Latina, o país com a maior incidência do problema é o Brasil, com 129 mil casos por ano.

90% dos AVC’s são de origem isquêmica, isto é, quando acontece o entupimento das artérias que irrigam o cérebro. Os coágulos sanguíneos originados no interior do coração ou na parede das artérias causam a obstrução. A proporção do AVC é configurada conforme a área atingida do cérebro, ocasionando pequenos ou grandes danos, podendo levar à morte, de acordo com o Dr. Ricardo Pavanello, supervisor de Cardiologia do HCor, em São Paulo.

Pavanello ressalta que, nos 10% dos casos restantes, o AVC é hemorrágico, caracterizado pelo derramamento de sangue no interior do cérebro. Nas duas formas da doença, as células do sistema nervoso central, os neurônios, acabam morrendo.

Atenção aos sintomas e à prevenção

Ainda que as consequências da doença, em alguns casos, sejam irreversíveis, é possível atentar para uma prevenção. Para isso, é necessário conhecer os sintomas que antecedem o AVC, que são a diminuição ou perda súbita de força no braço ou perna de um lado do corpo; a alteração aguda da fala, incluindo dificuldade para articular frases e se expressar ou para compreender a linguagem. Também estão no rol de sintomas a perda súbita de visão em um ou nos dois olhos e dor de cabeça súbita e intensa e persistente sem causa aparente.

Fatores de risco

O médico também salienta que o melhor método de prevenir um AVC é controlar os fatores de risco. Um dos principais fatores é a fibrilação atrial, um tipo de arritmia cardíaca, que, ainda que seja reconhecida por menos de 4% dos brasileiros, segundo dados da Bayer HealthCare Pharmaceuticals em pesquisa realizada com 8 mil cidadãos, aumenta as chances de AVC cinco vezes mais em seus portadores do que em pessoas sem a arritmia. A F.A. acomete aproximadamente 1,5 milhão de pessoas no país.

Por sua vez, a aferição constante de pulsação cardíaca, junto aos exames de eletrocardiograma de repouso são essenciais na descoberta precoce da fribrilação atrial. Há também outros problemas que representam maior possibilidade de manifestar um AVC, e o cardiologista apresenta quais: “Esses fatores incluem a hipertensão arterial, o diabetes, o aumento do colesterol, o aumento do triglicérides e o tabagismo”, certificou o especialista.