Publicidade
Entretenimento
Vida

Dia Mundial do Rock será comemorado em todas as partes da cidade

Para começar o roteiro de A CRÍTICA, as comemorações do Dia Mundial do Rock iniciam às 16h desta sexta, quando 25 bandas locais vão encher o Parque dos Bilhares de muito som 11/07/2012 às 08:48
Show 1
O novo logo que comemora os 50 anos da banda
Mellanie Hasimoto ---

O rock ’n’ roll será o protagonista deste final de semana, já que o gênero ganha diversas comemorações por conta do Dia Mundial do Rock, celebrado nesta sexta-feira, dia 13. Vários eventos estão programados para a noite da sexta, mas amanhã, entretanto, serão comemorados os 50 anos da banda inglesa The Rolling Stones, “a maior banda de todos os tempos”. E para bom apreciador do estilo, nada mais justo que aproveitar e comemorar as duas datas.

 Para começar o roteiro de A CRÍTICA, as comemorações do Dia Mundial do Rock iniciam às 16h desta sexta, quando 25 bandas locais vão encher o Parque dos Bilhares de muito som. Serão dois palcos montados no parque, e a festa vai continuar rolando durante o sábado, dia 14. No primeiro dia, o palco principal vai receber Antiga Roll, Joy, Amazônica, Catraia, Toca Raul, Olhos Imaculados, Cérberus e Blind Fold. No palco alternativo, localizado na primeira etapa do parque, tem Scarnificarium, Aves de Rapina, Platoon, Rolleta Rock, Black World, Red Mosquito e Infection. No sábado, dia 14, a programação fica por conta das bandas Trapos Velhos, Pensamentos Progressivos, Hypnose Death, The Mones, Dpeids, Gordons, Tudo pelos Ares e Mystical Vision no palco principal, enquanto Mao Trajados, Nematoides, Queda Livre, Crepúsculo, Laminer Face, Ilharga e Evil Syndicate agitam o alternativo.

Especial
O Teatro Direcional também entra na onda do rock, pois apresenta no dia 13 o Especial Legião Urbana e Raul Seixas, com os cantores Tukley (SP) e Dario Aaron (SP), a partir das 22h. Os ingressos custam R$ 40 (plateia/meia) e R$ 30 (pista/meia) e já estão à venda na bilheteria do teatro. A partir das 22h da sexta, também tem show comemorativo no Motorock Bar (av. das Torres, S/Nº). As bandas Alice in Chains e Nirvana vão ganhar tributo pela banda V8. A promoção do dia fica por conta da Skol Beats – três unidades por R$ 10.

Mais shows
Os Beatles, claro, também não ficam de fora da celebração. Os argentinos da Star Beetles vão tocar quarenta músicas dos garotos de Liverpool. A festa acontece no Clube do Trabalhador do Sesi (alameda Cosme Ferreira, 7.399, São José I), a partir das 21h, com ingressos a R$ 30 (cadeira/meia) e R$ 40 (área VIP/meia). Mais informações pelo número (92) 8426-1019. Além do Dia Mundial do Rock, o Porão do Alemão (Estrada da Ponta Negra, 1.986 / Tel: 3239-2976) vai comemorar seus 14 anos nesta sexta-feira. As bandas Garden e Critical Age sobem ao palco do local para fazer o Especial Metallica e Iron Maiden, a partir das 20h. Serão mil drinques liberados, além da premiação de R$ 500 em bônus para uma tatuagem às duas melhores fantasias temáticas.

Como vinho
 A Adega Brasilis (rua Alexandre Magno, 32, Shangri-lá IV) também vai comemorar a data. Na sexta-feira, a partir das 22h, Marcel Pinheiro vai tocar o melhor de bandas como The Doors, Eric Clapton, The Who, Pink Floyd, Led Zeppelin, Ira, Legião, Titãs, Beatles, Guns n Roses. Reservas pelos números (92) 3088- 7766 e 9136-0420. O Fela Kuti Espaço Sideral (na avenida Leonardo Malcher, 1.363, Centro) reinaugura em novo endereço. Por isso, unindo o útil ao agradável, acontece nesta sexta, a partir das 22h, o Indi(e)o Rock, com Os Tucumanos, Cabocrioulo, Escândalo Fônico e DJ Alan do Gueto. Mais informações pelo número (92) 9314- 9591.

Meio século de muito rock
Um livro, uma exposição, um filme e especulações sobre um possível show comemorativo. Para quem comemora 50 anos, não é nada mal, mas as comemorações ficam mais que especiais quando se fala na “maior banda de rock ’n’ roll de todos os tempos, de acordo com a crítica e o público”.

A afirmação está no Rock and Roll Hall of Fame, museu que registra a história de alguns dos mais conhecidos e influentes artistas do mundo. Ainda jovem, Mick Jagger afirmou que conseguiria viver de música “facilmente” quando tivesse 60 anos. É como se tivesse previsto o futuro, já que muitos medalhões do rock surgidos na mesma época saíram de cena, e os Rolling Stones permanecem fazendo sucesso e fortuna há meio século. Da cena underground londrina dos anos 1960 a turnês milionárias, a origem e a trajetória dos Rolling Stones é admirável. Tanto que, para celebrar, os fãs poderão visitar uma exposição com fotos do grupo que será aberta ao público amanhã, na Somerset House de Londres, batizada de “The Rolling Stones: 50”.

Além disso, será lançado um livro com o mesmo nome e um documentário sobre a agitada história dos britânicos deve chegar aos cinemas em setembro. O trecho da música de Muddy Waters de onde saiu o nome da banda, escolhido por Brian Jones (ex-guitarrista dos Stones, desligado da banda por conta do seu problema com as drogas e encontrado morto menos de um mês depois) define bem a trajetória dos músicos: “a rolling stone gathers no moss” (ou “pedras rolantes não criam limo”, em português). Apesar de algum tempo longe dos palcos, parece que Charlie Watts, Keith Richards, Mick Jagger e Ron Wood não pretendem parar tão cedo.