Publicidade
Entretenimento
FILME

Doidas e Santas: Maria Paula vive sua primeira protagonista no cinema

Com direção de Paulo Thiago, o longa é inspirado na crônica homônima de Martha Medeiros que já rendeu peça e agora e promete fazer rir e chorar no cinema 21/08/2017 às 11:23 - Atualizado em 21/08/2017 às 11:26
Show bv0121 2r
(Foto: Divulgação)
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Quem nunca passou por uma crise existencial e pensou em mudar radicalmente de vida? A atriz e apresentadora Maria Paula mostra que é possível superar todas as crises e se reinventar em seu novo filme "Doidas e Santas", que chega aos cinemas de todo o país na próxima quinta-feira (24). Com direção do experiente Paulo Thiago, o longa é inspirado na crônica homônima da escrita Martha Medeiros que já rendeu peça no teatro e agora e promete fazer rir e chorar no cinema.

Em seu primeiro papel como protagonista, Maria Paula vive Beatriz, psicanalista especializada em resolver os problemas dos casais que passam por seu consultório, mas que não está feliz com o seu próprio casamento com Orlando (Marcelo Faria). Ela gostaria que o marido fosse mais presente, sua irmã mais equilibrada, a mãe fosse mais comum, a filha um pouco mais santa e a amiga e vizinha Valéria (Flávia Alessandra) mais sensata. 

"O Paulo Thiago [diretor] me ligou e falou que tinha um roteiro lindo que queria filmar e tinha pensado em mim para o papel. Recebi o roteiro e me apaixonei imediatamente. Aí começamos a parceria. Ele é um diretor muito competente, foi muito bom ter o apoio dele em todos os processos de produção do filme. A dobradinha foi muito importante", conta a atriz em conversa com o BEM VIVER.

Crises e superação

No longa, Beatriz encontra apoio na vizinha Valéria, que também está insatisfeita com seu casamento com Alex (Thiago Fragoso). Em meio a essas mudanças, a psicanalista precisa se esforçar para manter a estabilidade com a filha adolescente Marina (Luana Maia), a mãe aventureira Elda (Nicette Bruno) e a irmã ativista Berenice (Georgiana Góes). “Foi muito bom trabalhar com a Nicette Bruno, uma aula. Ela é espetacular”, destaca Maria Paula.

Segundo Maria, o fato da protagonista exaltar o empoderamento feminino, tema em voga nos dias de hoje, fará com que o público se identifique com o filme. "Acho que a mulherada vai ficar louca pra ir pro cinema, as doidas e as santas vão querer ver", brinca. 

Maria complementa falando que a maior lição que aprendeu no filme é nunca ter medo de se reinventar. “A palavra crise, que aparece muito no filme com as crises da Beatriz, significa oportunidade. E a Beatriz soube enxergar suas crises como uma oportunidade de mudança”, ressalta.