Publicidade
Entretenimento
SÉRIES

Netflix faz evento de lançamento da nova série de José Padilha: 'O Mecanismo'

Produção brasileira é baseada nos eventos e personagens reais envolvidos na Operação Lava Jato e teve cerimônia de lançamento no Rio de Janeiro 17/03/2018 às 19:45 - Atualizado em 18/03/2018 às 10:14
Show bv0118 3f
(Foto: Divulgação)
Tiago Melo Rio de Janeiro (RJ)

As engrenagens já estão postas para fazer movimentar, a todo o vapor, “O Mecanismo”, nova produção brasileira original da Netflix. A série, que estreia no próximo dia 23 de março, conta com uma equipe perfeitamente encaixada formada por “peças” como Selton Mello, Enrique Diaz e Caroline Abras no elenco, José Padilha na criação, Elena Soarez no roteiro, Daniel Rezende na direção, entre outros nomes. 

Dividida em oito episódios, de cerca de 45 minutos cada, “O Mecanismo” explora um pequeno grupo de investigadores obstinados em descobrir o funcionamento interno de um esquema de corrupção monstruoso e o impacto que sua perseguição tem em todos os envolvidos - incluindo eles próprios.

Para Selton Mello, um dos protagonistas da série, que vive Marco Ruffo, um delegado aposentado da Polícia Federal, a série “é uma espécie de House of Cards, só que mais Breaking Bad, ou seja, mais sujo e menos elegante. O nosso House of Cards é mais pé na porta”. Sobre seu personagem, Mello disse que ele “é como se fosse uma consciência crítica da operação e da própria série”. 

Dividindo o protagonismo ao lado de Selton Mello, Caroline Abras, que esteve em “Avenida Brasil”, agora assume lugar de destaque na pele da personagem Verena Cardoni, uma ambiciosa agente da polícia federal e pupila de Marco Ruffo. De acordo com ela, o papel foi uma satisfação pessoal.

“O que me motivou a fazer a série foi o lugar de voz, essa possibilidade de representar uma mulher que está em um lugar no qual deveríamos ver com um olhar de normalidade. E nesse momento em que estamos em que as mulheres estão sendo ouvidas e reposicionadas, em que estamos repensando o papel da mulher, representar a Verena foi uma satisfação pessoal”, afirmou a atriz.

Na visão de Enrique Diaz, que interpreta o vilão Roberto Ibrahim, doleiro responsável por comandar o esquema de lavagem de dinheiro, “O Mecanismo” apresenta em tela o clássico jogo de gato e rato. “Entre o meu personagem e o do Selton Mello, rola uma coisa meio Tom e Jerry, Caim e Abel”, brincou ele. 

Criação e produção

Inspirada nos acontecimentos e pessoas reais da Operação Lava-Jato, a série teve como base o livro “Lava Jato: O juiz Sergio Moro e os bastidores da operação que abalou o Brasil”, do jornalista Vladimir Netto. Segundo José Padilha, que além de criar a série, dirigiu os dois primeiros episódios e deu o tom da obra, a ideia e o interesse para fazer “O Mecanismo” surgiu com a leitura do livro de Netto, em 2016. 

“O Brasil tem uma tradição do cinema engajado, desde a época da ditadura. Desde a época do Glauber Rocha, os cineastas brasileiros fazem filmes que demonstrem, de alguma maneira, algum tipo de indignação com a situação do país. Agora o problema é diferente. Temos esse ano as eleições e um sistema político brasileiro calcado na corrupção, é aí que a série se encaixa”, afirmou ele. 

Responsável pela direção dos dois últimos episódios, Daniel Rezende, que mais recentemente dirigiu ‘Bingo: O Rei das Manhãs’, conta que o convite feito por Padilha, do qual é um antigo amigo e colaborador, para trabalhar com a Netflix, abordando um tema tão importante, foi irrecusável. 

“Foi muito incrível participar desse processo. Tivemos muita liberdade para contar uma história real de corrupção e, ainda assim, criar a nossa própria série, nossa própria dramaturgia”, afirmou ele.

Tapete vermelho

Na última quarta-feira (14), convidados especiais da Netflix puderam conferir, ao lado do elenco, diretores, produtores e criadores, uma prévia de “O Mecanismo”, na Golden Room do Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O evento contou com a presença de famosos que foram prestigiar os amigos, como Renato Aragão, Rodrigo Santoro, Danton Mello. Os blogueiros Hugo Gloss e Federico Devito, e Anitta, que cantou alguns de seus mais recentes sucessos, também compareceram à festa.

*O jornalista viajou a convite da Netflix.

Publicidade
Publicidade