Publicidade
Entretenimento
Buzz

Em 'Avenida Brasil', Carminha flagra Tufão e Monalisa seminus e arma barraco

Aborrecido, o craque jura que não existe outra mulher e os dois dizem que se amam por terem feito parte um da vida do outro 18/06/2012 às 10:20
Show 1
Em "Avenida Brasil", Carminha flagra Tufão e Monalisa seminus e sai no tapa com a rival (18/6/12)
UOL/NOVELAS ---

Em cena prevista para ir ao ar nesta segunda-feira (18), Tufão (Murilo Benício) chama Monalisa (Heloísa Périssé) para almoçar na casa de seu pai, mas Carminha (Adriana Esteves) aparece e acaba com o romantismo dos dois. Depois que dispensar a mulher, afirmando que não voltará para mansão, o ex-jogador irá atrás da cabeleireira no salão.

"Se veio se desculpar pelo barraco que a tua esposa armou na casa do teu pai, não se incomode! Não me procura mais, não, tá?”. Ele ignora as palavras dela, a beija e os dois fazem amor.

De mãos dadas e deitados no chão do escritório, eles analisam a relação. "Nossa história foi bonita, foi bacana, mas lá no passado", diz  Monalisa. "E esses dias que nós passamos juntos?", pergunta Tufão. Mas a cabeleireira sente que o ex-jogador está com a cabeça longe e afirma que ele está apaixonado: "Por outra mulher, que não sou eu e nem é a Carminha. Você mudou muito ultimamente e foi por causa dessa nova paixão".

Atenção, spoiler! Se você prefere assistir a cena, não prossiga!

Aborrecido, o craque jura que não existe outra mulher e os dois dizem que se amam por terem feito parte um da vida do outro.

Desconfiada, Carminha invade o salão e flagra os dois seminus no chão. A vilã começa a gritar e ofender o casal.

CARMINHA — Você jurou pra mim que não tinha nada com essa mulher... E agora tá aqui com ela... nesse antro... quase nu!

TUFÃO   — Carminha, eu...

CARMINHA   — Monstro! Cafajeste... Cínico! Dizendo que saiu de casa porque tinha comprado as dores do Jorginho... (GRITA) Mentira! Mentira deslavada! O que o senhor queria era um pretexto pra sair por aí, aprontando! Pra me botar um belo par de chifres e ainda sair de bonito, de vítima!

TUFÃO  — Não, Carminha, não! Eu jamais...

CARMINHA — Doze anos, Tufão! Não foram doze dias nem doze meses... Doze anos. Durante todo esse tempo eu só te dei apoio, amor, dedicação, fidelidade... Nunca te traí, nem em pensamento, Deus é testemunha!

CARMINHA  — E o que é que eu ganho em troca? O desgosto de ver o homem a quem eu dediquei parte da minha vida com outra mulher... A sócia dele... Em plena luz do dia... Num lugar que o bairro inteiro frequenta... Exibindo sem pudor a sua falta de consideração com a idiota da esposa! (Aos prantos) Eu merecia isso, Tufão? Responde, sinceramente. Eu merecia isso? Ah, meu Deus...


TUFÃO  — Perdão, Carminha... Cê tem razão, cê não merece...

Monalisa reage indignada

MONALISA  — Tufão...

TUFÃO  — Olha, eu juro... Eu não fiz de propósito, não tive intenção! Você tem que acreditar... Aconteceu...

CARMINHA — Não encosta em mim! Você tá sujo! Você sujou o nosso amor com a sua traição... Eu quero morrer!MONALISA — Ah, chega de drama, né Carminha?

CARMINHA — Cala a boca, sua vadia!

MONALISA  —Vadia?! Vadia, eu?! Vadia é tu! Vadia, golpista, chantagista barata! Tufão era meu noivo quando tu veio com esse vale de lágrimas de crocodilo e roubou ele de mim. Acha que eu acredito nesse chororô, minha filha? Rá! Quem não te conhece que te compre!

CARMINHA— Manda a ordinária da tua amante calar a boca se ela não quiser apanhar...

MONALISA   — Quero só ver quem vai apanhar aqui! Tô doida pra espanar tua cara não é de hoje, Carminha...

CARMINHA — Tenta encostar um dedo em mim, cangaceira... Tenta!

TUFÃO   — Para com isso, gente! Não vamos perder a cabeça, por favor!

TUFÃO  — Vamos conversar como pessoas civilizadas...

CARMINHA — Eu não tenho mais nada pra falar nem pra ouvir. O que eu vi aqui já diz tudo. Eu vou embora desse lugar, da sua vida, Tufão...  Eu acabo aqui, junto com nosso amor...

MONALISA   — Eu vou vomitar! Esse teatrinho tá me dando náusea...

TUFÃO    — Colabora, Monalisa! Por favor... Não faz assim!

MONALISA  — Tu não vê que essa bruaca tá fingindo, Tufão?! Que ela tá fazendo contigo a mesma coisa que fez há quinze anos? Esposa fiel?! Tá bom! Isso aí é santinha do pau oco...

CARMINHA  — Cadela!

Carminha voa para cima da cabeleira, que revida. As duas puxam cabelo, se batem e abusam dos palavrões: Vadia, Ordinária, Desgraçada, Piranha!

CARMINHA  — Ordinária! Invejosa! Cê quer é se vingar porque ele te largou pra ficar comigo!

TUFÃO   — Chega! Olha o escândalo. Tá cheio de cliente lá embaixo!

CARMINHA— Cadela! Teu lugar é na sarjeta, sua prostituta!

MONALISA  — Prostituta é você... Eu me fiz com meu trabalho, não foi pendurada na carteira de marido rico... que nem você, sua vaca! Eu me fiz sozinha nesse salão!!!

CARMINHA — Ah, é?! Cê vai ver o que eu vou fazer no seu salão...

Descabelada e rasgada, Carminha vai embora.

TUFÃO  — (GRITA) Carminha!