Publicidade
Entretenimento
Buzz

Em 'Avenida Brasil', depois de promover uma festa com prostitutas, Nilo é expulso de flat

O catador de lixo chamará alguns moradores de rua, prostitutas, guardadores de carros para seu quarto e promoverá uma festa 31/07/2012 às 11:00
Show 1
Carminha e Nilo
uol/televisão ---

Nilo (José de Abreu) se dará mal nos próximos capítulos de “Avenida Brasil”, quando Nina (Débora Falabella) deixar de pagar suas diárias no flat em Copacabana, no Rio de Janeiro, onde ele mora.

O catador de lixo chamará alguns moradores de rua, prostitutas, guardadores de carros para seu quarto e promoverá uma festa. Nilo aparecerá rodeado de pessoas dançando, bebendo. Eles fazem trenzinho, dançam em cima da mesa, jogam cadeiras para o alto, quebram coisas, até que a porta se abre e o gerente do apartamento entra. A cena deve ir ao ar dia 8 de agosto.

Gerente          — O que é isso?! O senhor ficou maluco?

Nilo                  — Ah, vá, vá. Essa casa é minha, eu faço o que eu quiser aqui dentro. Não enche o meu saco, vai embora! Você não foi convidado pra minha festa, vai, vai, vai...

Gerente        — Seu Nilo, suas despesas estão muito altas, o senhor não paga as contas há um bom tempo. O senhor tem ideia do quanto está devendo?

Nilo                  — Não enche meu saco! Já botei muito dinheiro nessa birosca! Depois a minha filha paga. Sabe a Nina, aquela de cabelinho assim? Minha filha. Ela que tá me bancando. Tá achando o que?

Gerente         — Estou tentando entrar em contato com ela, deixei vários recados, mas ela não retorna.

Nilo                  — Ela deve está ocupada, tem mais o que fazer. E eu também...

Nilo empurra o homem até a porta e o coloca para fora e fecha a porta, passa a chave.

Nilo                 — (Para si) Ô, Nina, Nina, Nina... Você não ia ter coragem de deixar seu paizinho na mão agora, né?

A festa continua. O gerente do hotel arromba a porta e invade o apartamento, acompanhado de quatro seguranças.

Gerente          — Acabou a festa! O senhor tá expulso do edifício... Pra fora daqui! Já chamei a polícia, é melhor vocês saírem por bem...

Os seguranças começam a empurrar as pessoas, desligar a música, tirar bebidas, tudo com bastante violência. Alguns convidados começam a brigar, Nilo vai para cima do gerente.  Nilo e outras duas pessoas são colocadas para fora aos empurrões.

Nilo                 — Eu vou voltar! Você vai ter que me engolir, seu bundão! Você não pode me botar pra fora de casa!

Gerente         — Se aparecer aqui de novo, vai pra cadeia! Some daqui...

Nilo                   — Só vou pegar as minhas coisas...

Nilo tenta entrar, mas um segurança o empurra para fora. As pessoas vão saindo. Nilo fica caído na calçada e  gerente fecha a porta.

Nilo                  — Você vai pagar caro por ter me abandonado, Nina! Era melhor você ter cuidado direitinho de mim!

Revoltado, Nilo vai atrás de Nina na mansão de Tufão (Murilo Benício), logo depois de ter contado para Carminha que a cozinheira ficou com o dinheiro de seu sequestro.

Nina                 — Por que é que você ficou insinuando coisas a meu respeito na frente de todo mundo, jogando o foco pra cima de mim?

Nilo                  — Porque você é uma falsa, me abandonou!

Nina                  — Eu?! O que foi que eu fiz?

Nilo                  — Esqueceu de pagar minha conta no apart e eu fui despejado de lá, como se fosse lixo! Agora eu tô na rua, tô na lama! 

Nina                 — Ai, desculpa, Nilo! Foram tantos problemas que eu esqueci.

Nilo                        — Errou comigo e levou uma lição. Vamos ver se aprende...

Nina                   — O que é que você falou pra Carminha?

Nilo                         — Que você ficou com o dinheiro do sequestro dela!

Nina                  — O quê?! Você não tinha nada que ter contado isso pra ela.

Nilo                         — Foi só uma amostra grátis. Mas se você continuar esquecendo de mim, a Carminha pode saber muito mais coisa...

Nina                   — Me espera um pouco, Nilo. Eu vou te procurar, vou resolver essa história do apart pra você...

Nilo                        — (Estende a mão) O dinheiro pro táxi! Você não acha que eu vou voltar de ônibus?!

Nina                    — Claro, claro... Toma.

Nilo                        — Assim que se faz, tratando bem o paizinho... Boa menina! Tô te esperando, filhinha... (E SAI)