Publicidade
Entretenimento
Vida

Enjoei, a loja mais abusada da Internet!

Criada há três anos, a Enjoei permite comprar e vender produtos usados, mas de qualidade 22/12/2012 às 17:58
Show 1
Equipe da Enjoei! A loja virtual começou como um blog para vender roupas usadas e se tornou uma plataforma de compra e venda com mais de 10 mil objetos cadastrados – todos de muito bom gosto
Felipe Libório Manaus

Sabe quando o armário está abarrotado de peças que já não são usadas há um bom tempo, mas você não sabe o que fazer com elas? Essa era a situação da publicitária Ana Luísa McLaren, 30, quando resolveu, há três anos, abrir um blog e colocar tudo o que não queria mais à venda.

Assim nasceu a Enjoei, uma plataforma online de compra e venda de roupas, calçados, acessórios e diversos outros objetos, todos de segunda mão, mas muito sofisticados. “A Enjoei começou para resolver uma necessidade minha, mas as pessoas gostaram tanto que eu resolvi manter”, diz a empresária.

Nascida no Rio de Janeiro, Ana Luísa já trabalhou em empresas como iG, Shoptime, Americanas, Abril e Google. Há sete anos ela se mudou para São Paulo e passou a viver em um apartamento que não comportava todas as suas coisas. Pouco depois, seu marido Tiê Lima, 32, que na época ainda era namorado, mudou-se para o apartamento e tomou conta de metade do guarda-roupa.

“Não tinha mais espaço para nada e eu falei, ‘Enjoei, vou vender tudo pela Internet!’. E coloquei o blog no ar”, conta ela.

O blog durou três anos e era mantido por Ana Luísa e um cliente que se tornou funcionário. Quem queria vender algum produto mandava um e-mail com sua descrição para eunãoquero@enjoei.com.br. A peça passava por uma triagem (como acontece até hoje) e as aprovadas eram colocadas no ar. Quando alguém queria comprar a peça, mandava um e-mail para euquero@enjoei.com.br e a própria Ana Luísa avisava o vendedor. “Tudo era muito manual e demorado. Na primeira semana eu passei várias noites sem dormir para dar conta de todos os produtos”, lembra Ana.

Em junho deste ano o casal resolveu profissionalizar o empreendimento e transformar o blog em uma plataforma virtual maior e mais automatizada. A loja conta hoje com 20 funcionários e funciona em um escritório no bairro do Brooklin, em São Paulo. Por dia, cerca de mil peças são comercializadas por um público formado principalmente por mulheres entre 25 e 45 anos.

A designer Jéssica Mesquita, 22, é uma dessas pessoas. Ela conheceu a loja em junho deste ano e costuma olhar os produtos à venda cerca de duas vezes por semana. “A minha primeira compra foi bastante divertida. Quando você escolhe o produto, tem um cronômetro marcando 10 minutos, que é o tempo que você tem para comprar de vez ou desistir”, conta ela. “Outra coisa legal é a comunicação constante com o cliente. A redação dos e-mails é ótima, te faz querer abrir cada um deles”.

A maior parte dos produtos cadastrados na Enjoei é de roupas e acessórios femininos, mas também é possível encontrar celulares, computadores, móveis e livros. Cada mercadoria passa por uma seleção que verifica se o produto tem uma boa foto, preço adequado e se está em bom estado de conservação. De acordo com Ana Luísa, os critérios não são fixos, mas o produto precisa ser bonito e sofisticado. “Nós já vimos pessoas venderem coleções de revistas antigas, miniaturas da torre Eiffel e até um bolo cenográfico”, diz.

Para comprar ou vender na Enjoei é preciso se cadastrar no site www.enjoei.com.br. Depois é só escolher entre os mais de 10 mil produtos disponíveis. O frete é calculado de acordo com o peso do produto e varia de R$ 15 a R$ 90.