Publicidade
Entretenimento
Teatro

Espetáculo teatral promove uma reflexão sobre a figura da mulher, a guerra e a política

A montagem conta a história de uma mulher que se encontra refugiada num sótão para fugir de uma guerra mundial 22/09/2017 às 17:24
Show b0820 20f
(Foto: Fábio Moura/Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Um espetáculo que soma a força da mulher a seu refúgio interior, junto ao mundo da guerra e da política. Essa é a tônica do espetáculo teatral “Amélia”, do grupo Panorando Produções Artísticas, que será apresentado nos dias 21 e 28 de setembro no Espaço Cultural O Alienígena, sempre às 19h30. O espetáculo aborda de forma lírica e simbólica os conflitos familiares, a solidão e brigas em tempos de guerra num momento em que a política anda polarizada, de acordo com o diretor da obra, Cairo Vasconcelos.

Na história, uma mulher - interpretada pela atriz Neth Lira - encontra-se refugiada num sótão para fugir de uma guerra mundial. Com o passar do tempo, essa mulher encontra-se no próprio refúgio, junto com uma companheira chamada Amélia, onde as duas começam a entrar em conflitos. Ainda de acordo com Cairo, o espetáculo foi pensado para ser apresentado em espaços alternativos, de forma mais intimista e buscando um efeito mais “cinestésico’.

“O efeito cinestésico faz com que o espectador possa não apenas assistir, mas sentir as sensações da atmosfera do espetáculo pelo olfato, tato, audição. Nisso, a sonoplastia é inspirada na linguagem simbolista, sem uma música com versos e ritmada, mas um som contínuo e linear, levando o espectador à imersão da atmosfera do espetáculo”, pondera o diretor, que também assina a sonoplastia e concepção de figurino da montagem.

AspectosA cenografia do espetáculo, assinada por Jhon Weiner, visa um desligamento com o mundo externo e traz um ambiente opressor, com excesso de papelão, caixas e paredes, todas erguidas com o material presente. “Juntamente com a encenação da Neth Lira, esses objetos tomam forma e imagens para quem assiste”, destaca Cairo. Já o figurino baseado nas prisioneiras dos campos de concentração da II Guerra Mundial.

“O listrado na roupa, o sujo, encardido... tudo isso eu pensei em trazer para a cena e agregar na encenação da atriz, já que o plano de fundo é uma guerra. Mas existe também um momento em que a personagem cria suas fantasias, quase paranóias, e nisso, o figurino é utilizado para fazer com que o público possa também perceber as mudanças entre a realidade e as fantasias da personagem”, assegura Vasconcelos.

O espetáculo está em sua primeira temporada depois de sair da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), como um trabalho para uma disciplina na qual a atriz cursava. “Se tudo der certo, iremos continuar com a temporada em outubro, juntamente com o espetáculo do Jorge Bandeira. A temporada é um dos meios de manter vivo o espetáculo. Circular, inscrever em editais e festivais também está em nossas metas”, finaliza o diretor.

Serviço

o quê: Espetáculo “Amélia”

quando: 21 e 28 de setembro, sempre às 19h30

onde: Espaço Cultural O Alienígena (Rua Lima Bacuri, 64 C, Centro)

quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)