Publicidade
Entretenimento
Crianças Bondosas

Exemplo dos pais é referência para tornar crianças mais felizes e confiantes

Relação entre pais e filhos com lições preciosas ajudam a evitar o bullying e tornam os filhos mais cooperativos e seguros de si 22/01/2013 às 14:08
Show 1
Crianças cooperativistas são mais aceitas pelos colegas; rede de relacionamento ajuda a enfrentar adversidades
Cynthia Blink Manaus

As crianças bondosas são mais felizes. Foi o que revelou uma pesquisa realizada pelas universidades da Califórnia, nos EUA, e British Columbia, no Canadá.

Para chegar nesse resultado, 400 estudantes, de Vancouver, entre 9 e 11 anos, tiveram que escolher um ato de bondade (dividir o lanche, visitar os avós, etc) que praticariam durante um mês. Os que preferiram fazer  ações solidárias foram mais bem aceitos entre seus amigos. Popularidade capaz, até mesmo, de diminuir o indíce de bullying.

A pesquisa mostrou que as pessoas felizes não dão espaço ao egoísmo. Mas, como ensinar uma criança a trocar o “eu” pelo “nós”?

Exemplo

Segundo a psicóloga  Iolete Silva, professora doutora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), as crianças aprendem através do exemplo, “Elas são extremamente observadoras. Às vezes, não têm recurso intelectual para entender, mas estão ‘de olho’ em tudo que os pais fazem e falam”, alertou. Ainda segundo a psicóloga, o erro mais comum dos pais, nesse sentido, é a contradição, por exemplo: gritar com o filho exigindo que ele pare de gritar, ou  ser bagunceiro e cobrar organização.

Quem também concorda com a filosofia “o exemplo é a melhor forma de educar”, é  Gisele Braga, psicóloga e mestre em educação. “O altruísmo, a gentileza, a divisão devem ser estimuladas nas pessoas desde  quando são bebês.   Ensine a lei do retorno, que gentileza gera gentileza, sem imposição. Todos gostam mais dos que são gentis, e ser aceito gera felicidade”, explicou Gisele.

Ninguém é perfeito, mas se você é responsável por uma criança nunca use a máxima “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Iolete Silva recomenda, “Caso seja ‘pego em flagrante’ (falando uma coisa e fazendo outra) assuma seu erro, explique o que aconteceu e diga que isso não vai se repetir”. 

Filho único

Para a criança exercitar a cooperação é preciso que ela conviva com outros colegas da mesma idade. Isso explica o preconceito em torno dos  filhos únicos. Esses são facilmente rotulados de mimados e egocêntricos, mas as psicólogas garantem: para a fama não fazer jus a realidade os pais devem estimular ao máximo o convívio dos seus filhos com outros juvenis. Por isso, Gisele Braga aconselha, “Não demore para colocar seu filho na escola”.