Publicidade
Entretenimento
Vida

Exposição do paulistano Claudio Tozzi faz excursão cronológica sobre arte, em Manaus

O artista Cláudio Tozzi é um vanguardista das artes plásticas, adepto ao estilo pop art.  Foi um dos primeiros a criar na velocidade dos acontecimentos e apresentar obras que diziam respeito aos protestos que os estudantes organizavam contra a ditadura militar e ainda foi pioneiro ao retratar as profundas transformações que se passavam no âmbito feminino 19/06/2012 às 16:38
Show 1
Obras do paulista Claudio Tozzi
acritica.com ---

A exposição “Canteiro de Obras”, do artista plástico paulistano Claudio Tozzi, será lançada em Manaus nesta quarta-feira (20) às 18h, na galeria Moacir Andrade, no SESC Centro, localizada na rua Henrique Martins,  427, Centro da cidade.  A exposição faz parte do projeto Arte SESC e segue até o dia 20 de julho.

Há também obras dos anos 70, 80 e 90 até os dias atuais, destacando a capacidade do artista de representar cada época de formas distintas e criativas. No total, 37 obras ficarão expostas. A exposição estará aberta ao público de segunda a sexta, de 9h às 16h30, com entrada gratuita. Escolas e outras instituições interessadas podem agendar visitas através do telefone 2126-9574.

A “Canteiro de obras” faz uma excursão cronológica pela obra do artista plástico. A viagem começa nos anos 60, com serigrafia e fotolito no estilo pop art, com cores, formas e enquadramentos típicos dos quadrinhos da década.

No ‘Canteiro de Obras’, são 37 obras, sendo 33 serigrafias, uma litogravura, feita com produtos como carvão e pedras; três pinturas e um objeto de instalação, feito com pedras, mármore e outros materiais. Três dessas gravuras exemplificam o engajamento do artista às grandes mudanças que ocorriam na sociedade: ‘Multidão’, ‘Guevara vivo ou morto’ e ‘Mulher na janela’. As obras são todas originais. 


O artista Cláudio Tozzi é um vanguardista das artes plásticas, adepto ao estilo pop art.  Foi um dos primeiros a criar na velocidade dos acontecimentos e apresentar obras que diziam respeito aos protestos que os estudantes organizavam contra a ditadura militar e ainda foi pioneiro ao retratar as profundas transformações que se passavam no âmbito feminino.