Publicidade
Entretenimento
Vida

Farofa: prato popular tem versões deliciosas e fáceis de preparar

Conheça três receitas apetitosas da iguaria que é sucesso desde o Brasil Colonial em versões regionais 24/01/2016 às 21:04
Show 1
Matrinxã assada recheada com farofa de banana, criação de Elisangela Aguiar, do restaurante Tambaqui de Banda
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Na lista dos pratos mais populares da culinária brasileira, a farofa sem dúvida ganha de disparada. Datam da época colonial os primeiros registros da iguaria, que de lá para cá garantiu seu lugar nas mesas de Norte a Sul do País, tanto como um simples acompanhamento para o churrasco quanto como prato principal da refeição.

Versátil, barata e fácil de se preparar, a farofa hoje apresenta versões para os mais diversos paladares e gostos. A base do prato é a farinha de mandioca ou de milho, passadas na manteiga ou na gordura. A esses podem se acrescentar um sem-número de outros ingredientes, ao gosto do freguês: carnes, miúdos, bacon, torresmo, ovos, cebola, linguiça frita, banana, milho, cheiro verde, couve, alho, salsinha e por aí vai.

Estilo regional

Como em todo lugar, a farofa básica foi enriquecida com sabores característicos da culinária local, com o uso de ingredientes e temperos regionais. “No Amazonas temos a farofa feita no casco da tartaruga ou tracajá, bastante consumida há muito tempo”, exemplifica Elisangela dos Santos Aguiar, chefe de cozinha do Tambaqui de Banda.

Outra, ela cita, é a farofa de farinha branca com pedacinhos de calabresa. “Há muito tempo se usa para acompanhar o churrasco”.

A farofa aparece em diversos dos pratos criados por Elisabeth para o restaurante. Um deles é a matrinxã assada recheada com farofa de banana, cuja receita ela compartilha com os leitores do Portal A Crítica. A farofa usada como recheio e guarnição, ensina ela, é feita à parte e acrescentada no pescado ainda no forno.

“Essa farofa fica muito saborosa, com o gostinho da matrinxã e da banana. E pode ser feita também com qualquer outra espécie de peixe”, sugere ela.

Nordestina e amazônicaAs farinhas de mandioca são as mais utilizadas na farofa amazonense, mas em lugares como o Nordeste é comum encontrar o prato feito à base de farinha de milho. Pois foi a partir de uma dessas receitas que Nelânia Lopes, à frente da cozinha do Caboco Café, elaborou sua farofa de cuscuz. Com ingredientes novos e adaptados, além de um toque pessoal, o prato hoje é destaque no cardápio da casa.

“É nosso carro-chefe, uma das farofas que mais saem”, atesta ela, que também compartilha com o caderno o segredo do requisitado acepipe. Sua versão, ela conta, adapta uma receita trazida pela irmã de Pernambuco. “Lá é feita com carne seca, aqui usamos carne de panela, e acrescentamos calabresa e ovo frito, mais o ‘tempero do chef’”, explica.

As demais farofas no cardápio do café são feitas de farinha de Uarini: jabá, carne assada de panela e pirarucu – cuja receita você confere abaixo. Para Nelânia, que serve café nas manhãs de terça a domingo, a farofa é essencial para iniciar o dia. “O amazonense tem cultura de comer farofa de manhã. Eu particularmente fui criada assim. E fora daqui a gente estranha não ter a farofinha de manhã”.

E agora que tal preparar a sua própria farofa? Como diria o humorista Gregório Duvivier, escolha sua e “put some farofa” no prato!

Popular

A farofa é um alimento bastante popular no Brasil, sendo comumente servida como acompanha- mento para assados de carne, ave ou peixe. O prato – cujo nome vem de falofa, da língua africana quimbundo – tem origem registrada no período colonial.

Farofa de pirarucu

Ingredientes

Pirarucu seco

Farinha de Uarini (ovinha)

1/2 banana madura frita da terra (pacovã)

1 colher de cebola

1 colher de pimenta de cheiro

1 colher de cheiro verde

Fios de azeite

Pimenta do reino

Alho

Preparo

1. Dessalgue e desfie o pirarucu, e em seguida tempere-o com pimenta, alho, azeite e colorau.

2. Num recipiente, misture o desfiado com a banana frita cortada em cubos, a cebola, a pimenta de cheiro, o cheiro verde e a farinha de Uarini a gosto.

3. Misture até ficar homogêneo e regue no final com fios de azeite.

Farofa de cuscuz

Ingredientes

1 cuscuz cozido e esfarelado até virar farinha

1 ovo

1/4 de calabresa cortada em cubos pequenos

3 colheres de sopa de carne assada desfiada

1 colher de cebola picada

1 colher de pimenta de cheiro picada

1 colher de cheiro verde

1 colher de margarina

Sal a gosto

Preparo

1.Numa frigideira, coloque a calabresa com a cebola e a pimenta de cheiro para fritar em manteiga até dourar.

2. Frite o ovo separadamente, e misture.

3. Acrescente a carne desfiada, e por último o cheiro verde, para não murchar.

4. No final acrescente o cuscuz e misture tudo ainda com a frigideira no fogo, até obter uma mistura homogênea.

Matrinxã recheada com farofa de banana

Ingredientes

1 matrinxã média, sem espinhas

1 banana pacovã madura

100 g de farinha de Uarini (ovinha)

1 colher de chá de manteiga

2 dentes de alho

Sal a gosto

Preparo

1. Corte a banana em cubos, frite em óleo até dourar bem, escorra e reserve.

2. Torre a farinha e reserve.

3. Numa panela, derreta a manteiga e coloque o alho picado para dourar.

4. Acrescente a farinha, acerte o sal e em seguida acrescente a banana. Reserve.

5. Passe sal na matrinxã e coloque para assar em forno baixo por 45 minutos.

6. Aumente a temperatura para forno médio e deixe mais 5 minutos. Depois desse tempo retire o peixe, recheie com a farofa pronta e volte ao forno.

7. Deixe dourar por mais 10 minutos e está pronto.

Farofa de cuscuz (no alto) e farofa de pirarucu (acima) em receitas de Nelânia Lopes, do Caboco Café