Publicidade
Entretenimento
Vida

Festival Breves Cenas lota Teatro Amazonas e divulga vencedores

Em sua quinta edição, o evento foi um sucesso entre adultos, jovens e crianças. Ao todo, 16 esquetes de todo o País participaram da mostra 25/03/2013 às 09:03
Show 1
Luciana Arcuri foi uma das vencedoras do quinto ano do festival
Gabriel Machado ---

Teatro contemporâneo, humor e drama tomaram as rédeas do terceiro dia de apresentações do Festival Breves Cenas de Teatro, na última sexta-feira (22), às 20h. Em sua quinta edição, o evento foi um verdadeiro sucesso de público, que, nos cinco dias de mostra, fez bonito e lotou todos os ambientes do Teatro Amazonas – Largo São Sebastião, Centro. Ao todo, o festival contou com 16 esquetes, com duração máxima de 15 minutos, disputando o cobiçado Prêmio Américo Alvarez em seis categorias.

Organizador do Breves Cenas, Dyego Monnzaho destaca a crescente campanha de divulgação realizada ao longo dos anos como trunfo do festival. “Temos essa preocupação de atingir o maior número de pessoas possível e, nesses cinco anos, sempre contamos com um bom número de público”, apontou, já visando a sexta edição da mostra. “Pensando sempre em evoluir, para que o festival se renove e não seja apenas uma repetição de breves cenas”, frisou o organizador.

 

Cenas premiadas nas edições anteriores foram reapresentadas

O terceiro dia do evento começou com a cena “Fractal”, do grupo de teatro paranaense Ou Cia. Estrelada por Guenia Lemos, Hortênsia Labiak, Kenni Rogers e Nathan Milléo Gualda, a esquete, parte de uma montagem de 40 minutos, mostra frações de diálogos que mudam de sentido a cada novo contexto em que uma fala ressurge, como uma discussão familiar ou amorosa.

Logo depois, foi a vez da atriz paulista Luciana Arcuri divertir a plateia com a cena “O Homem”. Recheada de interação com o público e momentos hilários – como quando a atriz faz de um sobretudo um possível pretendente amoroso –, acena acompanha a personagem Maria Eugênia, uma palhaça bailarina, em sua busca insaciável por um amor, deixando-se seduzir até por objetos ao longo da esquete.

Prata da casa

A terceira cena da noite ficou a cargo da companhia amazonense Cês em Cena. Com um tom sombrio e diálogos fortes, “Desde que eu amo você” revela a conturbada relação entre um homem e uma mulher. Decidido a abandoná-la, ele começa a questionar a decisão, intimidado com a presença da amada, no momento em que se inicia uma tensa conversa entre os dois. Com texto e direção de Guta Rodrigues, a esquete, que teve cena de nudez parcial, é estrelada por Diego Bauer e Jéssica Amorim.

Figuração divertida

Finalizando a série de cenas do terceiro dia do festival, os comediantes Bruna Campello e Léo Castro garantiram que o público deixasse o Teatro com um sorriso estampado no rosto. Na esquete “Um leão por dia”, a dupla deu vida a dois atores que se encontram fazendo figuração para o filme “Carandiru”. No entanto, o que deveria ser apenas mais um simples dia de trabalho, se transforma em uma divertida bagunça a partir do momento em que eles passam a encarar a oportunidade como um divisor de águas em suas carreiras.

Vencedores

1. Prêmio: Menção honrosa com relação a experiência ao trabalho interpretativo

 Igor Lopes

Cena:  Eu não sou cachorro / Pernambuco

Albert Carneiro

Cena: Açougueiro Jack e Seus Cozidos / Brasília

Luciana Arcuri

Cena: O Homem / São Paulo

2. Prêmio pela abordagem temática através da cidadania e identidade na cena

Vencedor: 

 PENTES- Grupo Embaraça / Brasília

3. Prêmio pela Investigação compositiva para a cena

Vencedor:

 Fractal – Ou Cia / Paraná

4. Prêmio pelas características e formas ligadas ao teatro popular e a inserção de mídias

Vencedor:

 Nem o Pipoqueiro – Coletivo Nu / Rio de Janeiro

5. Prêmio pela composição poético imagética da cena

Vencedor:

 Cidade Solidão Multifoco Cia de Teatro / Rio de Janeiro

6. Prêmio AMERICO ALVAREZ DE MELHOR BREVE CENA – Juri popular

Vencedor:

 Sinais – Estupenda Trupe / Brasília