Publicidade
Entretenimento
Vida

Festival de Teatro inicia apresentações a partir desta segunda no Amazonas

Grandes nomes da dramaturgia nacional compõem o júri deste ano, como Fátima Valença e Beth Lopes. Além dos espetáculos, o FTA contará com diversas ações formativas como seminários, debates e oficinas e programações alternativas 08/10/2012 às 08:26
Show 1
“Isabel do Brasil” abre a 9ª edição do festival de teatro
Jornal Acrítica ---

Dezoito espetáculos – divididos nas categorias infantojuvenil e adulto – sobem, a partir desta segunda-feira (08), ao palco do Teatro Amazonas para a 9ª edição do “Festival de Teatro da Amazônia” (FTA).

O evento, que começa às 20h com a peça “Isabel do Brasil”, do Teatro Experimental do Sesc (Tesc), acontecerá no anfiteatro até o dia 17 deste mês e será dividido em dois turnos: matutino (Mostra Infantojuvenil) e noturno (Mostra Adulta).

Na ocasião, as peças concorrerão ao Prêmio Circulação e aos Prêmios Especiais, duas inovações para a edição de 2012. “Todos foram escolhidos pela comissão julgadora pela  qualidade estética e proposta cênica inovadora”, destacou Dyego Monnzaho, coordenador geral da Federação de Teatro da Amazonas (Fetam).

Além dos espetáculos, o FTA contará, também, com diversas ações formativas como seminários, debates e oficinas e programações alternativas. “Essa ação, bem como o festival como um todo, serve como uma manutenção para os artistas. Estamos tendo uma renovação de artistas sem perder a qualidade. As pessoas estão chegando e mostrando para o que vieram”, ressaltou Robério Braga, secretário de Cultura do Estado.

Jurados

Para a 9ª edição do FTA, o núcleo de jurados será formado por grandes nomes da dramaturgia brasileira: Fátima Valença, escritora e dramaturga carioca; Beth Lopes, diretora, pesquisadora e professora da Graduação e Pós-Graduação de Artes Cênicas da USP; e Antônio Rogério Toscano, professor da PUC-SP no curso de Comunicação das Artes do Corpo. “Todos são importantes nomes do teatro nacional, com destaque e reconhecimento pela crítica especializada do teatro brasileiro”, completou Monnzaho.

Até a seleção dos três avaliadores, o coordenador geral da Fetam disse ter seguido dois critérios. “Primeiramente nós queríamos pessoas de renome nacional do campo das artes cênicas. Segundo, e esse se encaixa especificamente na Fátima, gostaríamos que um dos curadores do festival estivesse no júri, assim, como ela analizou os projetos desde o início, terá um panorama real na hora de julgar”, apontou.

Tudo pronto para o lançamento da edição, as expectativas de Monnzaho são as melhores possíveis. “Estamos muito felizes com os espetáculos deste ano e esperamos atingir o maior número de pessoas possível, pois não há teatro sem plateia”, finalizou.