Publicidade
Entretenimento
Vida

Festival 'Um Amazonas' chega a sua 11° edição estimulando produção audiovisual na capital e no interior

Ao todo, são 35 curtas de cineastas de Manaus, dez de Codajás, sete de Manacapuru e cinco de Benjamin Constant. Eles concorrem em nove categorias, incluindo Melhor filme de Campanha Ambiental, Melhor Filme de Campanha Social, Melhor Filme de Animação e Melhor Filme do Interior 18/07/2012 às 09:01
Show 1
Festival Um Amazonas chega a sua 11° edição
ROSIEL MENDONÇA ---

Esta é uma semana especial para o cinema amazonense, pois até a próxima sexta-feira, dia 20, um total de 60 curtas-metragens será exibido em diversos locais da capital e do interior. A seleção de filmes com duração de um minuto faz parte da mostra competitiva do Festival Um Amazonas, que este ano chega à sua 11ª edição com uma história marcada pelo incentivo à produção local. Nas escolas municipais de Manacapuru, as exibições começam hoje.

Talentos revelados
Ao todo, são 35 curtas de cineastas de Manaus, dez de Codajás, sete de Manacapuru e cinco de Benjamin Constant. Eles concorrem em nove categorias, incluindo Melhor filme de Campanha Ambiental, Melhor Filme de Campanha Social, Melhor Filme de Animação e Melhor Filme do Interior. Também estão no páreo dois curtas de São Paulo e um do Ceará. A premiação do Um Amazonas 2012 acontecerá no sábado, dia 21, às 19h30, no Largo de São Sebastião. “O objetivo do festival é ser um grande caça-talentos, e ao longo da nossa trajetória nós temos conseguido colher bons frutos. Além disso, a qualidade dos filmes desse ano é muito superior à do ano passado. Recebemos vários curtas com boa qualidade técnica e a intenção é que o festival cresça sempre nesse quesito tecnológico”, comenta o cineasta Junior Rodrigues, que organiza o evento ao lado de Paulo Rodrigues.

O Um Amazonas também reserva espaço para os dez filmes considerados mais “fora da lei” da edição. “São curtas que foram feitos com uma boa intenção, mas possuem uma história escatológica ou um elenco ruim. Apesar de meio toscos, não deixam de ser um atrativo do festival e também concorrem à premiação”, explica Junior Rodrigues.

Prêmio atraem
A novidade do Um Amazonas 2012 é a categoria Melhor Filme em Mídia Livre, criada exclusivamente para filmes produzidos a partir de câmeras de celular e outros modelos convencionais. Junior Rodrigues garante que as premiações são bem vantajosas e dão um incentivo a mais para os cineastas. O produtor do melhor filme escolhido pelo júri oficial leva para casa um prêmio de R$ 2 mil e uma câmera digital Full HD.

O melhor filme escolhido pelo júri popular também receberá uma quantia de R$ 1 mil, que é a mesma para as demais categorias. Segundo Junior Rodrigues, a escolha dos vencedores ficará a cargo de um grupo de dez jurados, todos amazonenses. “É o que chamamos de júri mix, que conta com pessoas oriundas não só do meio audiovisual, mas também com donas de casa, trabalhadores do Distrito, dentre outros”, explicou. Além do melhor filme da mostra oficial adulta, o júri popular também vai escolher os vencedores da mostra Umzinho, com curtas voltados para a criançada.

Junior afirma que, em toda a história do festival, apenas um curta foi premiado tanto pelo júri popular quanto pelo oficial. Trata-se do curta “O Xis”, de Homero Flávio, exibido na primeira edição do Um Amazonas. “Pela qualidade das produções desse ano, não existe unanimidade. Todos têm grandes chances”, completa. A abertura da mostra infantil aconteceu na segunda-feira, dia 16, no município de Codajás e também segue até sexta-feira, dia 20. A Umzinho deste ano conta com 30 filmetes que serão exibidos nas escolas públicas para alunos do primeiro ao quinto anos do Ensino Fundamental.

Contribuição
Para o cineasta Junior Rodrigues, que está envolvido com o festival desde a sua primeira edição, o Um Amazonas tem ajudado na formação de um mercado de trabalho em torno das produções audiovisuais. Um exemplo é a realizadora audiovisual Dheik Praia, que participou de duas edições do festival e teve o curta “Orelhão” escolhido como melhor filme na edição de 2010. Dheik se prepara para lançar em novembro o curta-metragem “Rota da ilusão”, cujo roteiro foi premiado no Amazonas Film Festival do ano passado.

Invasão no interior

Além de Manaus e Manacapuru, o Festival Um Amazonas 2012 também vai invadir escolas públicas, praças, centros de convivência e espaços culturais dos municípios de Codajás, Iranduba, Itacoatiara, Novo Airão, Benjamin Constant e Rio Preto da Eva. Junior Rodrigues explica que o intercâmbio com os produtores do interior já é uma marca registrada do evento. Antes do festival acontecer, a equipe da organização promove uma série de oficinas de audiovisual nos municípios com o objetivo de produzir material para concorrer na mostra competitiva.

“Este ano, recebemos a inscrição de 80 vídeos, mas somente 60 foram selecionados. Nós visitamos o interior entre os meses de fevereiro e maio, mas alguns municípios ficaram de fora por conta da cheia. Foi o caso de Anamã e Barreirinha”, lembra Junior. Em Manaus, a equipe também realiza anualmente um concurso de roteiros em que os ganhadores recebem apoio técnico, equipamentos de captação e edição, além de ajuda de custo para tirar os projetos do papel. Da edição deste ano do festival, dez curtas são fruto dessa iniciativa, realizada em maio.