Publicidade
Entretenimento
Palestra

Ricardo Martins ministrará palestra sobre fotografia de natureza em Manaus

Na palestra, ele fará uma reunião de trabalhos fotográficos que fez pelo Brasil, em lugares como Pantanal, Mata Atlântica, Amazônia e Cerrado 23/11/2017 às 16:10 - Atualizado em 23/11/2017 às 20:28
Show b0122 24f
(Fotos: Ricardo Martins/Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

As lentes das câmeras fotográficas captam muito mais do que imagens, mas histórias. Histórias que se criam com a vida por trás do que se capta, seja fauna ou flora. Para contar essas histórias - algumas registradas em diversos livros por aí - o fotógrafo Ricardo Martins vai bater um papo com os entusiastas da fotografia no dia 24, no Instituto Amazônia, sobre todas as experiências que viveu no exercício da fotografia de natureza.

Na palestra, ele fará uma reunião de trabalhos fotográficos que fez pelo Brasil, em lugares como Pantanal, Mata Atlântica, Amazônia e Cerrado. No evento, ele também vai lançar o seu mais novo livro, intitulado “Birds Of Brazil”. Com as suas experiências, Ricardo virou especialista em fotografar aves e todo o trajeto que ele faz envolvendo logística, técnica, emoção e o animal fotografado serão relatados por ele no bate-papo.

Projetos feitos

Em seu currículo, Martins fez trabalhos internacionais para o National Geographic e é vencedor do Prêmio Jabuti 2012, o principal prêmio literário do Brasil. Por ter se especializado na fotografia de aves, algumas histórias marcaram a vida do fotógrafo e é sobre elas que ele vai falar na palestra. Uma delas aconteceu no Tocantins, quando foi convidado para conhecer um refúgio de araras em uma fazenda e lá conheceu uma arara-canindé com um passado de dor, mas um futuro de superação.

“O dono da fazenda conserva um área grande de Floresta Amazônica. A polícia ambiental começou a fazer solturas de araras lá, geralmente apreendidas do tráfico de animais, e etc. Fui lá e ele me contou uma história de uma arara-canindé, e ele disse que, enquanto ela voava com outra arara acabou pousando em uma outra fazenda e esse outro fazendeiro acabou matando o parceiro dela. Ao invés dela fugir por conta do barulho do tiro, ela permaneceu ali, rondando o corpo da outra arara”, relembra ele.

Libertação

Ricardo explica que o fazendeiro que deu o tiro aproveitou a presença da sobrevivente no chão e a colocou dentro de uma gaiola. O tempo passou, a filha de sete anos do homem acabou contando a alguém sobre a arara e fizeram uma denúncia. A polícia foi resgatar o animal na casa do fazendeiro mau e acharam a arara se automutilando – fase em que, devido à grande tristeza, as aves arrancam as próprias penas do corpo.

Após o resgate, a arara-canindé foi entregue ao refúgio de araras, foi muito bem cuidada pelo fazendeiro bom e se curou da tristeza. “Ela se apegou tanto ao cuidador dela que toda vez que ele pega o carro e vai para a cidade, a arara vai voando atrás dele. Ele fez isso quando eu tava lá, para eu fotografar: eu na caçamba do carro fotografando e ela a três metros de mim. Ela olhava nos meus olhos e eu via o vento soprar nas penas dela. Foi uma das coisas mais emocionantes que vi na minha vida”, conta ele, que além de aves já fotografou tartarugas, macacos e jaquatiricas.

Técnicas

O fotógrafo aproveita para dar dicas a quem quer seguir nessa carreira: “Você tem que ser apaixonado pela floresta e por bichos. Das técnicas que uso, o que faço é usar camuflagem para conseguir chegar mais perto do animal e deixar a foto mais natural. Uso lente de 100x400. Para pegar a melhor iluminação, é preciso fotografar muito cedo, por volta de 5h30 a 6h; ou no fim da tarde, depois das 17h”, conta ele.

O Instituto Amazônia situa-se na Rua Bernardo Ramos, n.145, Centro Histórico. A atividade é gratuita e possui lotação máxima de 50 participantes. Para se inscrever, é necessário enviar um e-mail para atendimento@iamazonia.org.br com o nome completo, número de identificação de documento com foto (RG / Carteira de Habilitação) e aguardar retorno com confirmação da inscrição. A palestra terá início às 16h.

Serviço

o quê Palestra “Um Olhar Além da Fotografia”, com o fotógrafo Ricardo Martins

quando Sexta, dia 24, a partir das 16h

onde Rua Bernardo Ramos, 145, Centro Histórico

quanto Gratuito