Publicidade
Entretenimento
transplante mãe e filha

Gesto de amor salva vida de menina com problemas renais em Manaus

Cirurgia foi realizada na última quarta-feira (17) , mãe e filha já receberam alta e passam bem 22/01/2013 às 10:32
Show 1
Mãe e filha passam bem e vão ao hospital uma vez por semana para realizar exames de rotina
acritica.com ---

O drama da pequena Karyna Evelyn Lima, 8,  que enfrentava uma maratona de oito horas diárias em  uma máquina de diálise peritoneal por conta de um problema crônicos nos rins, teve um desfecho feliz na última semana.  A criança recebeu da mãe, a industriaria Kalliane dos Santos, 29, um rim em cirurgia realizada no Hospital Santa Julia, em Manaus.


Karyna sofria há um ano com uma forte anemia, acompanhada de dores no rim direito, devido a diversos cistos que apareceram no órgão. “Os médicos me disseram que poderia ser uma má formação, ainda quando minha filha estava no ventre”, explica Kalliane. Quando o problema foi descoberto, o rim direito da menina já havia parado de funcionar e o esquerdo estava bastante debilitado. A mãe, por sua vez, começou a fazer os exames para verificar a compatibilidade do órgão e convenceu a família a apoiá-la nessa decisão. “A Karina mora conosco desde muito pequena. Ficamos muito tristes quando descobrimos a doença, mas, hoje, graças a Deus, tudo correu bem e elas terão uma vida normal”, conta o avô, Manoel Jaime de Lima, militar aposentado, de 62 anos.


O transplante renal da pequena Karyna aconteceu na manhã da última quarta-feira (17), no Hospital Santa Julia. A cirurgia durou aproximadamente 6 horas. O  Hospital Santa Julia é pioneiro nas cirurgias para transplante de rins com doadores vivo e morto, na região Norte. De acordo com a diretora técnica, Denise Nunes, o HSJ firmou parceria com a rede pública para realizar o procedimento também pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Mantemos uma estrutura exclusiva para esse tipo de cirurgia, com salas especiais e equipamentos de ponta. Somos referência em tratamento renal no Estado”, destaca a diretora.

A doação de rim feita pela Kalliane à filha Karyna foi realizada como método de substituição da função renal da paciente. “Ele é indicado quando os dois rins não funcionam de maneira adequada. O procedimento permite que o órgão recebido desempenhe as atividades que antes não eram feitas pelos rins doentes”, explicou o nefrologista Rolando Guilhermo que acompanhou todo o tratamento da menina.

Ambas, mãe e filha, já receberam alta médica e estão se recuperando da cirurgia em casa. Uma vez por semana, as duas voltam ao hospital para consulta de rotina. Karyna, que antes não podia nem mesmo tomar líquido, voltou a ter a função renal regularizada e, em breve, retorna à escola, apta a realizar todas as atividades de uma criança sadia.

O hospital já realizou mais de 362 transplantes desde 2005, sendo oito deles com pacientes menores de idade.