Publicidade
Entretenimento
Parto programado de cães

Gravidez de animais domésticos com parto programado

Cresce o número de manauenses que se dedicam à gravidez de seus animais domésticos 03/09/2012 às 09:11
Show 1
Yorkshire " Laika" durante exames de ultrassonografia e doppler. Veterinário Cristian Aguilera descobriu que o animal terá três filhotes saudáveis. Só não é possível saber o sexo
Célio Jr Manaus

 A cadelinha “Laika”, da raça yorkshire, de 1 ano e três meses, descobriu que será mãe de três filhotes. Estava acompanhada de três membros da família Farach, que fizeram questão de acompanhar os exames de ultrassonografia e doppler e a consulta com o veterinário para colher melhores informações para o parto da futura mamãe.

Em outra sala, a psicóloga Sandra Desidere acompanhava a maltês “Clara”, que havia feito parto cesária no dia anterior, para os procedimentos de pós-parto. Sandra decidiu pela cesariana para amenizar o sofrimento da cadela e para poder ter um acompanhamento de profissionais experientes para garantir a saúde da mãe e dos filhotinhos. “A Clara é muito mimada e apegada a mim e merece todo carinho do mundo!”.

 O veterinário Cristian Aguilera destaca que o pré-natal é muito importante porque os animais também apresentam complicações na hora do parto e anomalias nos fetos, assim como o ser humano. “A consulta com o veterinário é muito importante para garantir a saúde da
mãe e dos filhotes”.

 Exames

Se foi realizado um cruzamento programado, o ideal é levar o pet para realizar os exames que o veterinário considerar necessários e que vão de um simples exame de toque a hemogramas, dosagens de cálcio no sangue, doppler, raio-x e até ultrassonografias.

Cristian explica que a procura por pré-natal gira em torno de 60 a 70 % de fêmeas prenhes que buscam os seus serviços. Ele considera obrigatório a realização de ultrassonografia, que é um exame especifico de imagem onde um aparelho consegue ver e contabilizar os fetos e saber a posição dos mesmos na hora do parto.

 O doppler fetal possui um sensor que amplifica os batimentos fetais, mostrando a frequência cardíaca dos fetos para o médico, que pode decidir, inclusive, por cesária. “Em casos de algumas raças com predisposição genética para dificuldades na hora do parto como o bulldog inglês, pug e dachshund, e em alguns casos de trauma na bacia da fêmea, ou cães com trabalho de parto estendido” comenta Aguilera.

Pós-parto

O período após o nascimento também é muito importante. Os filhotes e a mãe deverão ser levados ao profissional para que seja feita uma avaliação física completa.

As crias devem ser acompanhadas até o desmame por volta dos 30 a 35 dias. A partir desse período são oferecidas papinhas de desmame de uso comercial (encontradas nos pet shops), e depois as rações próprias para filhotes.

Para as fêmeas que estão imunizadas indica-se vacinar os filhotes com 45 dias. Cristian Aguilera enfatiza que os filhotinhos que não mamaram o colostro (leite da mãe) podem ser vacinados contra cinomose e parvovirose a partir dos 28 dias.

Gravidez planejada 

A cadelinha maltês “Clara”, de 5 anos, de propriedade da psicóloga Sandra Desidere, teve uma gravidez planejada. Seguiu uma tabela menstrual, realizou exames clínicos e ultrasom para garantir a saúde da mãe e dos filhotes. Decidiu-se que o parto seria cesariana: “Decidi por ser uma cadelinha pequena, manhosa e também para fazer a histerectomia. O pós-parto foi excelente. Os filhotes estão crescendo rápido e mamando muito”.


A jovem Stephanie, filha de Sandra, estava em casa sozinha no momento que Clara começou a dar os primeiros sinais. O parto, que estava programado, antecipou. Foi uma correria, mas tudo deu certo. Clara teve três filhotes que foram para a incubadora enquanto ela recebia tratamento de profissionais competentes.

blog

Mônica Mendes Criadora


 “O primeiro cio ocorre geralmente a partir do 7º mês de vida e dura 21 dias com ovulação entre o 10º e o 14º dia e se repete a cada 6 meses. É indicado um cão do mesmo tamanho da fêmea para evitar que os filhotes sejam grandes e causem problemas no momento do parto.

A gravidez na cadela dura de 60 a 65 dias. Alguns dias antes da data prevista do parto, coloque uma caixa-martenidade no local escolhido para que a fêmea se acostume. A caixa deve permitir apenas a saída da mãe, e o local deve ser bem abrigado sem corrente de ar. Ao nascer o primeiro filhote a fêmea romperá o cordão umbilical e a placenta e lamberá o filhote para estimula-lo e limpa-lo”.