Publicidade
Entretenimento
FANTASIA

Há 20 anos, britânica J.K Rowling lançava primeiro livro da série Harry Potter

Desenvolvido em meados dos anos 90, o primeiro livro da saga surgiu de uma ideia que a autora teve em uma viagem de trem rumo a Londres 25/06/2017 às 05:00
Show 1498255427850074
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Duas décadas de magia. Parece que foi ontem, mas, num passe de mágica, a saga Harry Potter está completando 20 anos de lançamento. Em 26 de junho de 1997, a britânica J.K Rowling saía do anonimato ao lançar “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, uma das séries juvenis de maior sucesso de todos os tempos. De lá pra cá, a saga ganhou as telonas, registrando sua marca na cultura pop mundial.

Desenvolvido em meados dos anos 90, o primeiro livro da saga de fantasia surgiu de uma ideia que a autora teve durante uma viagem de trem rumo a Londres. Durante o período de cinco anos, J.K se dedicou à criação de todo o universo que envolve a história. Diversos fatores relacionados aos acontecimentos descritos no livro estão intimamente ligados à vida da autora, como a morte de sua mãe. De acordo com Rowling, a consequência do acontecimento manifesta-se no fato de Harry ser órfão e ao tratamento dado ao tema “morte” em todos os seus livros.

A autora relata que escreveu boa parte da obranum café de seu cunhado, no Reino Unido. Após a conclusão do livro, em 1996, J.K Rowling procurou diversos agentes literários e editoras, porém, todos se negaram a publicar o manuscrito. Doze recusas depois, ela conseguiu o apoio de uma pequena editora de Londres chamada Bloomsburry Publishing. Na época, o diretor da editora aceitou lançar o livro devido a sua filha, uma menina de oito anos, que leu o primeiro capítulo e quis saber como continuava. Era um sinal do apelo ao público pela obra.

Nomes e lançamento

Inicialmente, a editora sugeriu o nome “Harry Potter e a Escola de Magia”, mas Rowling não quis. Mesmo assim, a edição francesa do livro acabou sendo publicada com esse título. A tiragem inicial de quinhentas cópias foi publicada em junho de 1997, em sua maioria, em bibliotecas. A obra recebeu algumas críticas favoráveis. Nos EUA, o título foi mudado para “Harry Potter e a Pedra do Feiticeiro”, pois a editora acreditava que a palavra “filosofal” daria a impressão de que o livro falava sobre temas filosóficos. Por lá o lançamento ocorreu em 1998. O livro, no Brasil, foi lançado pela Editora Rocco em 1 de janeiro de 2000. Foi publicado como “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, igualmente em Portugal. O sucesso já era mundial.  

Adaptação cinematográfica

Dois anos após o lançamento do livro, em 1999, Rowling vendeu os direitos cinematográficos dos primeiros quatro livros de Harry Potter a Warner Bros. por um milhão de libras.  Inicialmente, o filme foi proposto ao diretor Steven Spielberg, mas ele acabou recusando a oferta. Diante disso, o cineasta Chris Columbus assumiu a direção do filme e a produção começou no ano 2000. A série adaptada para os cinemas estreou em 2001 e foi um verdadeiro fenômeno, arrecadando 975 milhões de dólares em todo o mundo.

Os principais papéis do elenco foram vividos por Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson, na pele dos inseparáveis Harry, Rony e Hermione. É impossível pensar em Harry Potter e seus amigos sem imaginar o rosto dos astros do cinema. O filme ainda ganhou três indicações ao Oscar em: Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Trilha  Sonora.

Amor de fã

Obviamente, uma franquia de sucesso arrebatadora como a de Harry Potter atrai milhares de fãs e seguidores ao redor do mundo. E em Manaus a história não é diferente. O professor de inglês Alan Vilar, 28, é um dos loucos pela saga. Ele conheceu o universo de Harry aos 11 anos. “Sempre tive o hábito da leitura e compartilhava dicas de livros com um amigo. Até que ele me disse que tinha ganhado um livro do pai dele e achava que eu iria gostar muito. Então, ele me emprestou e lembro que li em um domingo o primeiro livro todo. Na época, só tinha lançado os dois primeiros no Brasil e eu lembro da tortura que era esperar cada livro ser lançado”, conta o fã. 

O amor dele pela leitura é tão grande que ele criou um instablog para compartilhar coisas do mundo literário. E Harry Potter entra na jogada também. “Eu postava fotos de livros no meu Instagram pessoal e percebia que algum a amigos não curtiam muito. Foi quando tive a ideia de fazer um Instagram dedicado somente a livros e quem quisesse me seguir e compartilhar desse amor seguiria. A resposta foi assombrosa.  Não imaginava que iria chegar a esse tanto de gente que chegou e que eu faria tantos amigos por causa disso. Lá as pessoas podem achar resenhas, comentários, lançamentos, sorteios, sinopses e muito mais”, conta. O perfil é @coracaodeleitor.

Outro apaixonado pelo universo criado por J.K Rowling é o universitário da UFAM, Felipe Moura, 22. Ele tinha seis anos quando assistiu a adaptação para o cinema de “Harry Potter e a Pedra Filosofal”. “Foi meu primeiro contato com a obra de J.K. Rowling. Ainda me lembro de como aquele mundo de magia e mistério havia me encantado, a ponto de sair de lá querendo jogar uma partida de Quadribol. Desde então, os livros e filmes se tornaram fiéis companheiros em todos esses anos de vida”, afirma o universitário.