Publicidade
Entretenimento
Tratamento hiperidrose com botox

Hiperidrose pode ser tratada com botox

Toxina bloqueia o estímulo enviado constantemente às glândulas sudoríparas, que voltam a produzir a quantidade normal de suor 04/12/2012 às 13:50
Show 1
O botox pode ser utilizado no tratamento da hiperidrose
acritica.com ---

Só quem sente literalmente na pele o problema sabe quanto é desconfortável conviver com a hiperidrose, uma doença caracterizada pela “produção excessiva de suor sem a realização de atividade emocional ou física, pois a pessoa fica frequentemente com as mãos suando e a roupa molhada” afirma o cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco.

 O médico também relata que a pessoa que sofre de hiperidrose também pode ter bromidose, nome dado ao excesso de odor ou odor desagradável. Em alguns casos, o suor pode ser colorido e manchar as roupas na região das axilas. Esta condição é chamada de cromidose. “A coloração é resultado do uso de determinados medicamentos, doenças hemorrágicas, escoburto ou da ação de bactérias cromogênicas. Na cromidrose, o suor pode ser azul, amarelo, vermelho, preto ou sanguíneo”, explica o especialista, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

 Pacheco aponta que os sais de alumínio e derivados, presentes nos desodorantes antitranspirantes, também causam mancham amareladas nas roupas. Um detalhe importante também informada pelo médico é a diferença entre os desodorantes antitraspirantes e antiperspirantes. Os dois combatem o odor da transpiração, mas somene o antiperspirante é capaz de reduzir a sudorese. 

Botox combate a hiperidrose

As partes mais afetadas pelo suor excessivo são as mãos, os pés e as axilas. O distúrbio ainda pode se manifestar no couro cabeludo e no rosto. A hiperidrose primária é desencadeada na infância e se intensifica na adolescência e a secundária surge devido a tumores, lesões, distúrbios psiquiátricos e outros fatores. “Para impedir a hiperatividade das glândulas sudoríparas e minimizar o cheiro desagradável é indicada a aplicação de botox. A aplicação de toxina botulínica é capaz de eliminar o suor, mas os efeitos não são definitivos, por isso é necessário fazer a reaplicação a cada seis ou 12 meses”, ressalta.

O botox bloqueia o estímulo enviado constantemente as glândulas sudoríparas, que voltam a produzir a quantidade normal de suor. Com o passar do tempo, o nervo que envia estes sinais volta a se religar as estas glândulas e o estímulo retorna, causando a produção descontrolada de suor. “As aplicações de botox reduzem a intensidade da hiperidrose, isto é, o paciente vai demorar cada vez mais tempo para voltar a fazer o procedimento novamente”, evidencia o cirurgião, mestre em Princípios da Cirurgia utilizando o laser.

Por ser menos invasiva, a aplicação de botox não oferece riscos e nem efeitos colaterais aos pacientes comparada a simpatectomia, cirurgia que acaba definitivamente com a hiperidrose, mas pode causar complicações irreversíveis. “No procedimento com a toxina botulínica, o paciente recebe anestesia local e a substância é aplicada na pele das regiões afetadas. Para tratar as mãos, a aplicação demora cerca de 40 minutos e as axilas 20 minutos. Não há necessidade de internação e o paciente pode voltar as suas atividades no mesmo dia”, acrescenta o cirurgião.