Publicidade
Entretenimento
Cavalheirismo em destaque

Homens que chamam a atenção pelo cavalheirismo

Educação e fino trato são atitudes habituais entre alguns homens que acabam sendo chamados de verdadeiros gentlemen 10/07/2012 às 11:14
Show 1
Pequenas atitudes fazem diferença e cativam
Israel Conte Manaus

Abrir a porta do carro para a esposa; levantar-se porque alguém chegou ou vai sair da mesa; ser gentil; super educado; ter boa conduta para com as mulheres. Utopia na sociedade moderna? Não quando se trata de verdadeiros cavalheiros, homens que preservam o fino trato com as pessoas.

 O Vida & Estilo conversou com quatro exemplos de gentleman (cavalheiro, em inglês) para saber a origem de tanta educação e quais os hábitos diários que cultivam no tratamento com o próximo.

Além de se surpreenderem com a indicação - eles não se consideram tão cavalheiros assim - em comum, os empresários citaram a família como a origem de tamanha gentileza.

 “Tive uma educação muito simples e bastante tradicional. Havia aquela hierarquia de respeito pelo bisavô, avô, pai”, conta o empresário Paulo Girardi.

“Meu pai e minha mãe eram cordiais. Para mim se tornou algo inato”, comenta Guilherme Aluizio, presidente do Jornal do Commercio.

 “Minha família é o maior patrimônio. Tudo que tenho e sou devo a educação que meu pai e minha mãe me ensinaram: a de trabalhar para ter”, diz agradecido o empresário Elias Nóvoa.

Inspiração

 Paulo Girardi diz que além da família, conviveu com um grande exemplo de cavalheiro. “O saudoso ex-governador Gilberto Mestrinho. Nunca presenciei ele levantar sequer o tom de voz. Inacreditavelmente nunca o ouvi dizer um palavrão”, lembra Girardi.

 Entre os seus hábitos de cordialidade, Girardi tem desenvolvido a qualidade de ouvir mais do que falar. “Mesmo que sejam os maiores absurdos, procuro ouvir sem discutir. Esse é sem dúvida o primeiro passo para ser cordial o tempo todo”, diz o empresário.

Tratar bem

 As damas desses cavalheiros também são alvo da cordialidade dos seus maridos. Paulo e Guilherme garantem que são do tipo que abrem a porta do carro para a esposa entrar e puxam a cadeira à mesa para que ela sente. “Continuo fazendo e espero fazer a vida inteira. Não é à toa que vivemos muitíssimo bem há 12 anos”, orgulha-se Paulo.

Para Moysés Israel, membro da diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), o fino trato nada mais é que tratar as pessoas como irmãos. “É respeitá-las, tratar bem, procurar ajudar sempre quando possível”, aconselha. “Você só pode ser feliz se criar um ambiente ao seu redor feliz”, completa.

Moysés Israel destaca o respeito ao próximo

A opinião também é compartilhada por Elias Nóvoa. “Fui ensinado a ter compaixão pelo próximo. Por isso acredito muito nas pessoas. E por confiar nelas, isso me leva a tratá-las sempre cordialmente, a ter tempo para elas”, comenta Nóvoa.

 

  Elias Nóvoa ressalta a importância da família

Atitudes para quem quer ser um cavalheiro

 1. Quando estiver andando a pé pela cidade lembre-se que o homem sempre deve ficar do lado da rua.


2. Ao subir para as escadas rolantes o homem deve dar passagem para que a mulher suba primeiro, mas quando as escadas rolantes forem descer quem fica na frente são os homens.


3. No caso de ir buscá-la para sair não se esqueça de esperá-la fora do carro, independente do carro.


4. Se estiver aquele frio e a sua mulher esqueceu de levar blusa de frio que tal dar o seu casaco para ela se esquentar? Por mais que passe frio, o legal é que ela se sentirá a princesa das princesas e que tem o homem mais romântico do mundo ao seu lado.