Publicidade
Entretenimento
Vida

Hotel de selva alia arquitetura moderna e beleza da orla de Novo Airão, no AM

Mirante do Gavião está localizado próximo à reserva ecológica do Arquipélago das Anavilhanas. Contraste entre design inovador e belezas naturais pode ser adquirido por meio de pacotes com refeições e passeios turísticos  09/11/2014 às 12:16
Show 1
Design moderno entra em contraste com paisagem amazônica
ROGÉRIO PINA Manaus (AM)

Quatro amigos e sócios que atuam há dez anos com expedições fluviais no Amazonas, a partir de uma base em Novo Airão, decidiram expandir a atuação com a criação de um hotel de selva na orla daquele município – distante de Manaus 180 km e que pode ser acessado por barco ou por estrada asfaltada.

Mas não é um hotel qualquer. A começar pela estrutura arquitetônica, que valorizou o terreno na beira do rio, integrando a recepção, as suítes, áreas de alimentação e piscina com a natureza do lugar. As suítes, com design inovador, são o que primeiro chama atenção e levam a assinatura, assim como todo o projeto, da arquiteta Patrícia O´Reilly, do Atelier O’Reilly Architecture & Partners Sustainable Strategies.

Outro charme é que o hotel está situado próximo à reserva ecológica do Arquipélago das Anavilhanas, fazendo com que a estrutura oferecida ao hóspede harmonize com a natureza preservada e o belo Rio Negro em todo o seu esplendor.

O pequeno número de suítes reforça a ideia de que é possível trabalhar com poucas unidades e, mesmo assim, conseguir a sustentabilidade do negócio – no Mirante do Gavião são apenas sete, construídas com madeira de lei certificada.

Dentro dessas estruturas, as peças de decoração em madeira estão por toda parte – evidenciando a fama e o reconhecido trabalho de marcenaria feito em Novo Airão. Aqui e ali vê-se uma peça modernosa, como as luminárias da recepção – trazidas de Paris por um dos sócios – ou o refrigerador vermelho em estilo retrô que decora os quartos. Completam a decoração cortinas brancas, livros sobre expedições na Amazônia ou ainda peças assinadas pela escultora em madeira Hellen Rossy. Os ambientes refrigerados abrigam deliciosas camas para esquecer do mundo.

O local conta com três mirantes de considerável altura, de onde se pode ver o rio, fotografar o pôr do sol ou apenas se deixar ficar, em cadeiras confortáveis, lado a lado com a copa de imensas castanheiras.

A área de convivência e o restaurante/bar, que formam uma só estrutura ao lado da piscina, tem um dos melhores visuais para o rio, a partir de um imenso deque de madeira, sob a estrutura arredondada do prédio.

À noite, o lugar ganha outros “ares”, com discreta iluminação em LED sob as passarelas de madeira que interligam os prédios à recepção e às suítes. A piscina também muda de cor, variando de um azul intenso ao verde claro. A seleção de drinques e cervejas oferecida ali pode ser uma boa “companhia” para ajudar a aliviar o calor nas noites amazônicas.

E, para completar, as criações da chef Débora Shornik, paulista que é responsável pelo restaurante do hotel e também pelo cardápio do flutuante Flor do Luar, na orla de Novo Airão, que pertence a um dos sócios do grupo.

Débora parece já estar integrada à região pois vem fazendo, com a ajuda de uma afinada equipe local, delícias que misturam os peixes, as frutas, verduras e farinhas da Amazônia. O café da manhã do hotel é outra experiência interessante, reforçado por sucos e geleias de frutas da região, tapiocas com recheios inusitados, bolos que desmancham na boca e pães de sabores pouco comuns, como açaí e tucumã.

A ideia de construir o Mirante do Gavião seguiu uma tendência natural do grupo de sócios, que já atua com as expedições fluviais e conhece bem o que procura o turista que vem à Amazônia. Outra “inspiração” foram os hotéis com poucos quartos em lugares longínquos da África – que trabalham com turismo sustentável e buscam oferecer a integração com a natureza e com as comunidades ao seu redor. O Mirante do Gavião já iniciou a interação junto às comunidades no entorno do hotel, comprando farinha e frutas de algumas comunidades próximas ou ajudando as escolas com ações educativas.

A empresa de Novo Airão tem parceria com a operadora de turismo Mundus, de São Paulo, que comercializa somente roteiros exóticos pelo mundo e, no Brasil, só trabalha com Amazônia em parceria com a Katerre – das expedições fluviais – e, agora, o Mirante do Gavião.

O hotel oferece pacotes – com tudo incluso – de dois a cinco dias, com três refeições e passeios turísticos. Mas também há diárias simples somente com café da manhã. O hotel oferece também duas modalidades de day-use: sem utilização das suítes, para quem vai de lancha a atraca no píer do lugar, e com utilização das suítes.