Publicidade
Entretenimento
Professor You Tube

Internet vira febre para quem quer aprender de tudo um pouco

Variedade de tutoriais abre possibilidades para internautas aprenderem desde receitas até a consertarem acessórios e veículos 30/03/2012 às 10:58
Show 1
Pessoas como Ricardo " Alemão" até economizam dinheiro com manutenção de itens e equipamentos de veículos graças à internet
Felipe de Paula Manaus

Até o fechamento desta edição, a pesquisa no site de compartilhamento de vídeos You Tube para a frase “Como fazer Sushi” apresentava 928 resultados, somente em português. É bem possível que no momento em que você lê esta matéria, já haja mais do que isso no site, e que grande parte desses resultados seja relevante, isto é, realmente ensine a fazer Sushi.

A Internet permitiu ao mundo um compartilhamento de dados jamais visto pela Humanidade. Por meio dessa rede, pessoas de todo o planeta produzem e adquirem informação. E parece que a moda agora são os vídeos tutoriais, aquelas vídeoaulas que ensinam passo a passo de determinado procedimento.

Foi a partir deles que os amigos Marcus Rolim e Rafaell Santana aprenderam a preparar a supracitada iguaria japonesa. A dupla, que domina muito bem as novas tecnologias (são programadores de softwares), entendia muito pouco (ou quase nada) de cozinha, mas tinha
em mente que a tarefa não haveria de ser tão árdua. Bastava “dar um Google” e encontrar na rede uma série de informações sobre os ingredientes, o preparo, o corte do salmão e a maneira correta de servir o prato.

Eles contam que estavam planejando um acampamento com os amigos e, para levar algo prático, gostoso e ao mesmo tempo diferente (e saudável) para a turma, veio a ideia de fazer um Sushi. “O máximo que eu tinha feito na cozinha era uma gelatina mosaico, que não deu certo”, confessa Marcus. No entanto, o Sushi deu, e muito, pois foi “super aprovado” por família e amigos, “cobaias” dos aprendizes de sushi man.

 Para eles, a Internet foi um recurso natural, já que os dois assumem passar “24 horas” on line. “É o melhor meio de comunicação existente, pois permite a rapidez, variedade e boa informação”, diz Rafaell. “Na Internet você pode até parar o vídeo, ver melhor como é feito. Além do mais, é difícil alguma coisa não estar por lá”, acrescentou Marcus.

 Ciber-ciclista

Ao contrário de Marcus e Rafaell, o biólogo Ricardo Romero nunca achou os vídeos do You Tube algo tão atraente, pois sempre estava envolvido com outras atividades. Porém, ele não hesitou em pesquisá-los quando precisava fazer alguns reparos na sua bicicleta, já que Alemão, como ele é conhecido, é o chamado “bicicleteiro” de carteirinha.

Coordenador do grupo Pedala Manaus, ele conta como conseguiu dar uma boa economizada nos gastos com manutenção das peças e equipamentos de sua “magrela”, como carinhosamente apelida a bicicleta.

 “Eu não realizo toda a manutenção, mas reduzi pela metade o número de vezes que levo a bike para as oficinas”, conta ele, lembrando que profissionais gabaritados devem ser acionados quando houver necessidade.

De comida à boa música

A bióloga Laís Araújo Coelho hoje procura de tudo um pouco na Internet. De receitas vegetarianas a dicas de como tocar alguns instrumentos musicais.

Laís conta como percebeu que o mundo virtual poderia ser uma ótima ferramenta de aprendizado para suas aspirações gastronômicas e artísticas. “Minha relação com a Internet para esse fim começou mais recentemente, com o vegetarianismo”, conta ela, que vasculhou vídeos no You Tube em busca de receitas para seu estilo de vida.

 Acabou encontrando o site www.vegetarianocomeoque.com.br, que toda semana disponibilizava vídeos tutoriais sobre receitas vegetarianas no You Tube e de lá tirou várias pratos.

“Antes eu não confiava nas informações porque não sabia de sua procedência, mas com os vídeos é diferente, porque você vê a ‘cara’ da comida, a textura, numa perspectiva mais real”, diz ela. “Quando fazia receitas de um livro, não ficava tão bom quanto com suporte dos vídeos”, completa a mestre em Ecologia, que também pratica capoeira e é apaixonada por música, em especial, o chorinho.

 E foram dois instrumentos típicos desse estilo brasileiríssimo de música que a levaram a imergir ainda mais fundo no vasto universo de vídeos on line. “Eu já aprendi um pouco de pandeiro e agora estou estudando a flauta tranversal”, diz ela, confessando que agora “pesquisa tudo” na rede.

blog

Sérgio Freire Pesquisador de novas mídias

“O potencial pedagógico é vocação da Internet. A rede é uma grande biblioteca, um depósito dinâmico de informações. Nós podemos transformar essa informação em conhecimento, que é a informação trabalhada. Ou não. Nem tudo que está na rede é peixe comestível. A Internet mudou nosso modo de nos relacionarmos com as pessoas e com a informação, mas estamos em pleno aprendizado do que essa mudança significa”.

Pontos

- Tenha claro o que procura. Estar focado no que se busca é básico para que não se perca tempo

- Escolha a ferramenta certa. “Ora, o Google”, dirão alguns. Mas ainda que este seja o buscador mais popular, a informação flui por diferentes
caminhos

 - Aprenda a diferenciar logo. Ao fazer uma busca, é bom conseguir determinar de cara se os resultados têm algo a ver o que se quer encontrar ,

- Use seu inglês. Com ajuda de dicionários e tradutores, você pode escolher pela língua mais usada na Internet  

- Faça busca indireta. Trata-se de não atacar diretamente o tema que procuramos, mas buscar algo relacionado com ele

- Se puder, use sites oficiais. Sites ou blogs oficiais tem conteúdos mais seguros. Os vídeos também são boas opções, pois “imagens não mentem”