Publicidade
Entretenimento
Vida

Invasão gringa: marcas Pretty Ballerinas e Repetto inauguram primeiras unidades no país

A primeira a chegar a terras tupiniquins foi a Pretty Ballerinas, que há três meses inaugurou sua loja localizada no Shopping JK Iguatemi 25/03/2013 às 15:07
Show 1
A marca conhecida pela constante renovação de suas coleções conquistou celebridades como Angelina Jolie, Claudia Schiffer, Katie Holmes e Kate Moss
Luciana Santos Manaus, AM

Práticas, confortáveis e ao mesmo tempo glamorosas, as sapatilhas saíram dos palcos para invadir os closets de mulheres mundo afora. E duas representantes de luxo dessas flats femininas, a “espano-inglesa” Pretty Ballerinas e a francesa Repetto decidiram apostar no mercado brasileiro em 2013 e estão abrindo seus primeiros pontos de venda no País, ambos na cidade de São Paulo (SP).

A primeira a chegar a terras tupiniquins foi a Pretty Ballerinas, que há três meses inaugurou sua loja localizada no Shopping JK Iguatemi. A marca conhecida pelo acabamento cuidadoso dos produtos e pela constante renovação de suas coleções conquistou celebridades como Angelina Jolie, Claudia Schiffer, Katie Holmes e Kate Moss. Esta última, em seu casamento com Jamie Hince, em agosto de 2011, calçou todas as 16 daminhas com sapatilhas da label.

E a aceitação das brasileiras tem sido animadoras, segundo revela a sócia da loja Daniela Camocardi, que identificou algumas peculiaridades da consumidora da marca no Brasil.

Enquanto as européias preferem cores e modelos mais básicos, as brasileiras optam por pares mais coloridos, com estampas, texturas e até mesmo pedraria. Um dos exemplares de maior sucesso no País, de acordo com a empresária, foi um que possuía a aplicação de cristais swarovski. Apesar do valor, R$ 1.450,00, há lista de espera pelo modelo. “Pelo valor, as brasileiras preferem optar pelo diferente e, no caso do modelo com cristais swarovski, é como uma jóia para os pés”, avalia Daniela.

A empresária adianta que uma nova coleção chegará no próximo mês a São Paulo e que ela e o sócio, Luiz Henrique Trevisan, acabam de fechar uma parceria com a loja Daslu de Brasília (DF), onde serão vendidos alguns modelos selecionados. Daniela conta ainda que, em função dos bons resultados, a fábrica, localizada em Menorca, na Espanha, deu liberdade para a encomenda de modelos exclusivos para as brasileiras. “Podemos usar para homenagear alguma data especial. Na Europa fizeram uma para comemorar os 50 anos dos Rolling Stones, aqui também poderemos homenagear algum artista importante”, afirma.

Sapatilha objeto de desejo Quando em 1956, a atriz francesa Brigitte Bardot encomendou de madame Rose Repetto uma sapatilha para utilizar no filme “E Deus criou a mulher”, de Roger Vadim, o cinema ganhou uma musa e as mulheres um sapato objeto de desejo.

A “ Cendrillon” (cinderela em francês), como foi batizada a flat calçada por BB, é um clássico da grife que até hoje inspira meninas e mulheres antenadas por todo o mundo. Mas o modelo dedicado à BB não é o único desenvolvido pela label francesa, que ao longo dos anos vem apostando em novas cores e estampas. Nos início dos anos 2000, por exemplo, a marca lançou peças desenvolvidas por estilistas como Issey Miyake, Yohji Yamamoto, Rei Kawakubo e Karl Lagerfeld.

No Brasil, a inauguração da primeira loja Repetto está prevista para maio, no Shopping Cidade Jardim (SP), empreendimento que também será o primeiro da grife na América Latina.

Em comemoração à chegada ao País, uma sapatilha especial e numerada será lançada. De acordo com a Versão Francesa, grupo que representa a Repetto no País, as coleções vendidas por aqui seguirão as da França.

Busca rápida

As origens

A história da Repetto inicia em 1947. Rose Repetto, mãe do bailarino Roland Petit, passa a produzir sapatilhas de dança para as estrelas da Ópera de Paris. O endereço da grife em Paris está localizada na “22 rue de la Paix” que, mais que um endereço, é um estilo seguido pelas demais lojas ReproduçãoBrigitte Bardot e a sua “cendrillon” vermelha no filme de Roger Vadim.

Sapatilha objeto de desejo

Quando em 1956, a atriz francesa Brigitte Bardot encomendou de madame Rose Repetto uma sapatilha para utilizar no filme “E Deus criou a mulher”, de Roger Vadim, o cinema ganhou uma musa e as mulheres um sapato objeto de desejo.

A “Cendrillon” (cinderela em francês), como foi batizada a flat calçada por BB, é um clássico da grife que até hoje inspira meninas e mulheres antenadas por todo o mundo. Mas o modelo dedicado à BB não é o único desenvolvido pela label francesa, que ao longo dos anos vem apostando em novas cores e estampas. Nos início dos anos 2000, por exemplo, a marca lançou peças desenvolvidas por estilistas como Issey Miyake, Yohji Yamamoto, Rei Kawakubo e Karl Lagerfeld.

No Brasil, a inauguração da primeira loja Repetto está prevista para maio, no Shopping Cidade Jardim (SP), empreendimento que também será o primeiro da grife na América Latina.

Em comemoração à chegada ao País, uma sapatilha especial e numerada será lançada. De acordo com a Versão Francesa, grupo que representa a Repetto no País, as coleções vendidas por aqui seguirão as da França.