Publicidade
Entretenimento
MÚSICA

Jéssica Stephens, vencedora do Fecani vai representar o AM em Festival Nacional

Compositores e intérpretes de todo o país enviaram canções para participar da competição e Jéssica Stephens é uma das dez finalistas selecionadas do 43° Festival Nacional de MPB de llha Solteira em São Paulo 14/10/2017 às 15:32 - Atualizado em 14/10/2017 às 16:35
Show dgghhg
(Foto: Winnetou Almeida)
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Quando a cantora Jéssica Stephens, 28, mudou-se de sua cidade natal – Boa Vista (RR) – a Manaus, ela não imaginava a guinada que sua carreira iria ter. De 2015 pra cá, ela já fez as cadeiras virarem no The Voice Brasil, ganhou na categoria voto popular no Festival Amazonas de Música (FAM) e é atual vencedora de um dos maiores festivais do Brasil, o Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani), que garantiu passaporte para o 43° Festival Nacional de MPB de llha Solteira em São Paulo. Compositores e intérpretes de todo o país enviaram canções para participar da competição e Jéssica Stephens é uma das dez finalistas selecionadas.

Além de ser a primeira estadia da cantora em São Paulo, o festival será o primeiro evento de música nacional que ela participará. Jéssica irá interpretar a música que lhe rendeu a vitória no Fecani deste ano, ‘Malungos’, com o próprio compositor da letra, Carlos Gomes. “Pra mim já é um presente. O Carlos é referência, um cara gentil, todos os grandes músicos respeitam a história dele. Se vier o prêmio é lucro”, felicita a cantora.

O vencedor levará para casa um prêmio de R$ 6 mil, enquanto o segundo colocado fatura um prêmio de R$ 4 mil. E o terceiro colocado leva para casa R$ 3 mil. O festival será realizado de 25 a 28 de outubro.

Cantora ‘desde sempre’
Cantora e compositora, Jéssica Stephens nasceu e se criou em Roraima, dando os seus primeiros passos na música na cidade de Boa Vista. Ainda criança, fez parte do coral da Escola de Música de Roraima. “Todas as escolas que eu entrava, sempre fazia testes para os corais, sempre participei. Minhas professoras diziam que eu tinha vocação, aptidão para a música, e aquilo me dava uma certa esperança”, relembra.

Aos 14 anos ingressou no ELCA, Escola Livre de Canto, onde foi solista até os seus 18 anos. Em 2006, ganhou o segundo festival de calouros realizado pela Fetec. A partir daí, a cantora dava os seus primeiros passos nos festivais. 

Em 2008 foi intérprete no Festival de Música da Prefeitura de Boa Vista e backing vocal da banda base do FEMURR. Das seis edições do Festival Canto Forte, participou de cinco, conquistando o primeiro lugar e prêmio de melhor intérprete em 2013. Em 2014 conquistou o segundo lugar com sua música ‘Fruto do Bem’ e em 2015 conquistou o quinto lugar com sua canção ‘Fronteira’. 

A cantora já participou do tradicional Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani), em 2013 defendendo uma canção de Roraima e sem 2014 interpretando sua música ‘Sabiarar’. 

Em 2015, Jéssica fez parte do espetáculo Mulheres em Boa Vista, cantando nas três temporadas e o mesmo bateu recorde de público no Teatro Jaber Xaud. No mesmo ano, a cantora se mudou definitivamente para Manaus com a proposta de trabalhar na banda Órion, na qual permaneceu por um ano.

Jéssica também conta que um dos motivos que a fizeram mudar para a capital amazonense foi o relacionamento com o cantor Elias Moreira. Eles são noivos. Morando em Manaus, a cantora se apresenta em bares, restaurantes e casas de show ao lado de Elias, além de apresentações solo.

The Voice
A princípio, Jéssica conta que não pretendia ingressar no reality show da TV Globo, mas a insistência de sua mãe e de seu noivo a fizeram participar do programa. Elias já havia sido participado do programa na edição 2013.

“Um amigo produziu o vídeo e mandei. Em abril do ano passado eles entraram em contato comigo. Foi um longo processo”, conta. Ela afirma que participou da quarta rodada nas audições às cegas. “Tinha muita gente nova, eles me deixaram nervosos”, complementa.

No programa, Jéssica interpretou ‘A História de Lily Braun’, de Chico Buarque e Edu Lobo. “As cadeiras demoraram a virar, pensei assim ‘não vou passar’, foi quando Claudinha [Leitte] e o Carlinhos viraram. Foi uma experiência ótima, fiz muitos amigos”, afirma a artista.

Jéssica escolheu Cláudia Leitte como sua técnica. “Ela falou tudo que eu passei e isso me tocou muito”, diz. Na etapa seguinte,  “Batalhas”, a cantora foi eliminada em duelo contra a cantora Joana Castanheiras.