Publicidade
Entretenimento
Livro judeus marroquinos

Linguista lança livro sobre idioma falado por judeus na Amazônia

Em sua mais nova obra, Álvaro Cunha mostra fatos curiosos sobre os judeus descendentes de marroquinos que vivem no Pará e no Amazonas 11/05/2012 às 21:38
Show 1
“Hakitía, o judeu-árabe da Amazônia” descreve a história do povo judaico-marroquino que mora nos rincões dum verde e vago mundo chamado floresta amazônica.
Cassandra Castro Manaus

Um idioma oculto conhecido como idioma de ocultação falado por judeus descendentes de marroquinos que vivem em Belém , Manaus e cidades do interior da Amazônia. A saga dos judeus marroquinos que moram nesta região do Brasil com a particularidade de um idioma com suas peculiaridades é narrada no livro “Hakitía, o judeu-árabe da Amazônia”.

“Hakitía é o nome do idioma que essa comunidade fala, porém, alguns ou confundem com o ladino ( uma língua também judaica) ou dizem se tratar de um falar morto antes mesmo de os seus falantes terem ido a óbito”, brinca o autor.

Álvaro Cunha é linguista e narratólogo paraense radicado em São Paulo e conta que descreveu e documentou quais elementos fonético-fonológicos ainda resistem neste falar. O autor fez uma contextualização histórica da hakitía voltado à sua origem, na “Hispânia Medieval”que culminou na expulsão do judeus em1492, assim com suas rotas de exílio, dentre elas , o Marrocos , e a partir daí até ‘Eretz (terra,país) Amazônia`.

O livro é uma boa opção de leitura para os que querem conhecer um pouco mais sobre o povo judaico-marroquino e sua língua.