Publicidade
Entretenimento
Teatro

Livro "As Pontes de Madison" ganha versão teatral em Manaus

Os personagens principais são interpretados por Flávio Galvão e Mayara Magri. A direção é assinada por Regina Galdino 10/09/2012 às 07:48
Show 1
Flávio Galvão e Mayara Magri engataram romance após se reencontrar na peça. Os atores já haviam trabalhado juntos em 1984
Mellanie Hasimoto Mansus, AM

Não são todas as pessoas que conseguem uma segunda chance na vida. As histórias de Francesca, a protagonista de “As pontes de Madison”, e da atriz que a interpreta, Mayara Magri, são muito parecidas.

Com roteiro traduzido e adaptado por Alexandre Tenório e dirigida por Regina Galdino, “As pontes de Madison” esteve em cartaz no palco do Teatro Direcional durante este final de semana.

A história se passa no interior do estado de Iowa, nos Estados Unidos. A italiana Francesca, casada com um ex-soldado americano e mãe de dois filhos, fica em casa sozinha, durante quatro dias, enquanto a família viaja.

Neste tempo, conhece o fotógrafo viajado Robert Kincaid, com quem vive um intenso caso de amor. Paixões Culta e frustrada por não ter com quem compartilhar suas paixões – ópera e literatura – a dona de casa vê naquele homem uma nova oportunidade de viver intensamente.

Como a história é contada por meio de flashbacks, os filhos de Francesca descobrem uma nova faceta da mãe, ao ler os seus diários logo após a sua morte. De volta aos palcos depois de um longo período afastada de qualquer produção, a atriz Mayara Magri é quem dá vida a Francesca.

O namoro na vida real com o ator Flávio Galvão não interfere na credibilidade da atriz na hora de interpretar a tensa e reprimida Francesca. Em um palco de teatro, estático, é impossível fazer comparações com a adaptação cinematográfica de sucesso, estrelada por Clint Eastwood e Meryl Streep.

Mas como o romance se passa na década de 1960, onde quebrar as regras de um casamento era um grande tabu, dá para sentir o desconforto da mãe de família fechada para o mundo ao dar de cara com um homem tão livre, tão diferente e tão disposto a abandonar tudo para tê-la.

Destaque

O livro “As Pontes de Madison”, escrito por James Waller vendeu mais de 50 milhões de cópias pelo mundo. O título foi um dos primeiros a ganhar uma tradução oficial na China, onde 700 mil unidades foram comercializadas.