Publicidade
Entretenimento
Livro Gymnasianos

Livro retrata memórias coletivas dos Gymnasianos

Osiris Silva é autor do livro que retrata toda a conjuntura cultural, social e política vivida não só no Amazonas, mas também no Brasil e no Mundo. 02/05/2012 às 15:10
Show 1
Livro de Osiris Silva, Gymnasianos vai ter sessão de autógrafos no stand da Editora da Amazônia na bienal
Cassandra Castro Manaus

Um livro de memórias coletivas. É assim que o próprio autor do livro Gymnasianos editado pela Editora da Amazônia e que vai ter uma sessão de autógrafos na tarde desta quarta-feira (02) no stand da editora na Bienal do Livro Amazonas que é realizada no Studio 5 Centro de Convenções em Manaus.

Osiris Silva é economista e já acalentava o desejo de escrever um livro que mostrasse toda a conjuntura vivida no fim dos anos 50 e início dos anos 60 não só em Manaus mas também no Brasil e no mundo.  “ Nós éramos a primeira geração da pós guerra e vimos muitos acontecimentos de importância mundial acontecerem como a Revolução Cubana, a Era Kennedy, a Guerra Fria entre os Estados Unidos e a União Soviética, acompanhamos muitos fatos importantes”, conta o autor.

A vontade de escrever acabou concretizada depois de um trabalho de estudos e pesquisas de quase quatro anos.  “ O livro abrange o período que vai de 56 a 58 e de 63 a 65. Toda esta efervescência política e cultural era vivenciada no grêmio estudantil do então Gymnasio Amazonense Pedro II, também conhecido como Estadual.  Na escola eram desenvolvidas atividades literárias, culturais, científicas, esportivas, o grêmio era uma força viva. Com o golpe militar ele se perdeu. Hoje, nós sentimos a carência da falta de líderes políticos”, afirma Osiris.

O escritor destaca nomes de personalidades que fizeram história no Amazonas como Rui Araújo, João Valério e Andrade Neto.  Osiris Silva também fala de uma realidade que é muito diferente da que vemos hoje. “ Os professores davam aula de paletó e gravata, moravam bem, tinham carro.  Além do Colégio Estadual, tinha o Instituto de Educação do Amazonas (IEA), a Escola Técnica que formava mão de obra especializada.

Osiris acha importante que o contexto histórico seja resgatado e repassado às gerações atuais até para se buscar  melhorias em áreas que ainda precisam ser melhoradas. Osiris Silva vai estar às 17h no stand da Editora da Amazônia na Bienal do Livro Amazonas para conversar com o público e autografar sua obra.