Publicidade
Entretenimento
Vida

Longa-metragem produzido no Amazonas será exibido em Festival na Flórida

Filmado principalmente no município de Presidente Figueiredo, “Anhangá, Espírito da Amazônia” (“Dark Amazon”, no circuito internacional) tem data marcada para ser exibido no Festival Internacional de Cinema de Fort Lauderdale (EUA). Será no dia 31 de outubro próximo 22/08/2012 às 07:42
Show 1
Fidelis Baniwa e o pajé Raimundo Dessana, em participação especial
Virgílio Simões ---

A roteirista e diretora manauara residente na Flórida (EUA) Darcyana Moreno Izel está finalizando seu primeiro longa-metragem. Filmado principalmente no município de Presidente Figueiredo, “Anhangá, Espírito da Amazônia” (“Dark Amazon”, no circuito internacional) tem data marcada para ser exibido no Festival Internacional de Cinema de Fort Lauderdale (EUA). Será no dia 31 de outubro próximo. O filme conta com elenco de atores brasileiros e estadunidenses. Nos papéis principais estão Don Jeanes (que atuou em “Transformers, o lado oculto da Lua”), Michelle Taylor (de “Uma noite de amor e música”), a carioca radicada nos EUA, Mina Olivera (“A vidente”) e o carioca Emílio Dantas (que hoje trabalha na novela “Máscaras”). Também atuam Fidelis Baniwa, Arthur Monteiro, Mark Alan, David Park, Robert Fleet e o pajé Raimundo Dessana.

Horror amazônico
 A trama do filme acompanha um grupo de cientistas que vem dos Estados Unidos para o Brasil em busca da cura para o câncer, que está relacionada à enzima da pele do sapo Kampô. Após a perda das amostras da substância, e para repô-las, os pesquisadores, acompanhados por uma equipe de documentaristas, são forçados a embrenhar-se na floresta. Mortes misteriosas começam a vitimar o grupo, e a antiga lenda de Anhangá, um espírito protetor dos animais, parece estar relacionada com o mistério. A exploração comercial da região, e a apropriação de riquezas da floresta por corporações internacionais também são elementos evidenciados na trama.

Início da saga
Darcyana Moreno Izel explicou que a produção do filme foi totalmente independente. “Eu fiz com recursos próprios, com a ajuda da família e amigos. Agradeço particularmente o apoio do Robério Braga, da SEC, e de Saleyna Borges, do Casa do Cinema. Foram eles que garantiram as passagens e a estadia para os atores de fora”, comentou. Ela pretende que este seja o primeiro de muitos filmes, e para isso montou uma produtora sediada em Manaus, em parceria com seu irmão, José Moreno, a Samaúma Produções.

 Internacionalização
 A diretora mistura ficção com realidade para chamar atenção para as questões da Amazônia. “O Brasil é muito mostrado, lá fora, como um país violento e cheio de corrupção. Eu quero fugir um pouco disso, não falar só de favela e tráfico de drogas. Quero mostrar as lendas, a cultura brasileira. Quero comunicar a nossa verdade, usando uma linguagem universal, para o mundo inteiro”, finalizou.

A imagem
>>>Repórter de A Crítica participou do filme
 Atriz e repórter da TV A Crítica, Carla Chaves participa de uma das primeiras cenas de “Anhangá”. Ela interpreta a si própria, como a jornalista que noticia misteriosos assassinatos que ocorreram na floresta. Esse é o mote para o início do suspense que envolve a pesquisa pela cura do câncer.

Saiba +
‘Dark Amazon’ é o título internacional que “Anhangá” receberá. A Samaúma Produções é uma empresa que pretende incentivar as grandes produções locais.