Publicidade
Entretenimento
Aniversário

Luiz Bacellar completa 84 anos nesta terça-feira (04)

Artista pioneiro do "haicai" no Amazonas, possui renome na poesia amazonense e brasileira 04/09/2012 às 07:53
Show 1
Além de poeta, Luiz também foi professor, revisor e tradutor
A Crítica Manaus, AM

Há 84 anos, em um casarão da rua Henrique Martins, no Centro de Manaus, nascia um dos maiores poetas do Amazonas, Luiz Franco de Sá Bacellar, autor de obras como “Frauta de Barro”, “Sol de Feira” e “Quarteto”.

Autor de uma bibliografia curta, mas grandiosa em sua importância e expressividade, Bacellar tem seu nome registrado na poesia amazonense e brasileira também como um pioneiro. Nos anos 50, o ainda pouco conhecido gênero “haicai”, composto por versos enxutos, foi introduzido na literatura amazonense.

Décadas depois, lançou o livro composto exclusivamente por haicais, o belo “Satori”. Luiz Bacellar completa seus 84 anos de vida neste dia 4 de setembro recebendo os cuidados e tratamento de saúde na Fundação Dr. Thomas, para onde retornou há duas semanas, após uma temporada na Fundação de Centro de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon).

Com câncer no pulmão, ele não foi submetido a nenhuma intervenção cirúrgica. Bacellar, que nunca uma foi pessoa festeira, acostumou-se a comemorar seu aniversário com encontros e jantares apenas entre seus amigos mais chegados.

De preferência, em eventos livres da preocupação com o dia seguinte, já que ele sempre ocorre na véspera do feriado. O poeta Zémaria Pinto, amigo íntimo que lhe acompanha há vários anos em passeios e em atividades sociais, contou à reportagem do jornal A CRÍTICA que Bacellar sempre comemorava seu aniversário com um “jantarzinho” onde o cardápio principal era pescada assada.

Pescada assada é a comida preferida de Bacellar que, aliás, também se tornou a sua especialidade na cozinha. O jornal apurou que a passagem dos 84 anos não terá nenhuma comemoração. Luiz Bacellar foi professor, revisor e tradutor.

Aprendeu a falar vários idiomas sozinho, apenas conversando com amigos estrangeiros e lendo livros na língua original. É dono de uma obra originalíssima, inventiva e pioneira. Há 53 anos, sua obra mais conhecida, “Frauta de Barro”, recebeu o prêmio nacional Olavo Bilac, no Rio de Janeiro.

A comissão era composta por Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e José Paulo Moreira da Fonseca.