Publicidade
Entretenimento
Música

Banda amazonense Luneta Mágica vai tocar no festival SXSW, nos Estados Unidos

Após ser confirmada como uma das atrações do Lollapalooza Brasil, banda experimental-alternativa alça voo mais alto e chega a renomado festival internacional 16/10/2017 às 20:56 - Atualizado em 17/10/2017 às 09:14
Show b0117 20f  por victor neves
Banda é formada por Erick Omena, Eron Oliveira, Pablo Araújo e Daniel Freire (Foto: Victor Neves/Divulgação)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Algumas semanas após ser confirmada na versão brasileira do festival de música Lollapalooza, previsto para os dias 23, 24 e 25 de março de 2018 em São Paulo, a banda amazonense Luneta Mágica foi anunciada em outra missão que vai acontecer dias antes do evento, mas em solo internacional: a banda também vai tocar no South By Southwest (SXSW), um conjunto de festivais de música, cinema e tecnologia previsto para o período de 9 a 18 de março no Texas, nos Estados Unidos. 

Este será o primeiro show internacional da banda, que foi selecionada via curadoria. Há cerca de um mês que a organização do SXSW enviou um e-mail com a proposta para a banda. “Nossas referências sobre o SXSW são as melhores possíveis. O evento é uma plataforma tão poderosa que o ‘The Strokes’ estourou depois de tocar lá. O SXSW é referência no mundo inteiro, e há 20 anos eles estão estabelecidos em Austin, lançando tendências para o mundo da música”, declara o guitarrista da banda, Erick Omena, que forma o grupo ao lado de Pablo Araújo (vocal e guitarra), Daniel Freire (baixo) e Eron Oliveira (bateria).

O repertório que os rapazes do Amazonas vão levar para o SXSW deve ser diferente do repertório a ser levado para o Lollapalooza Brasil. O evento brasileiro deve receber alguns dos sucessos clássicos da banda, como “Largo São Sebastião” e “Lulu”. “Mas ainda não decidimos ao certo. O que posso dizer é que a curadoria de lá gostou de nossas músicas mais estranhas, como ‘Parte’, ‘Manaus 14h’ e ‘Mantra’. Provavelmente focaremos em um repertório mais ruidoso”, coloca Erick.

Ainda segundo Omena, já haviam algumas propostas voltadas a shows fora do País, mas ele confessa não esperar que a oportunidade viesse tão logo. “Exportar nossa música para fora do nosso país, começando no SXSW, é começar com os dois pés direitos. É tipo um sonho se realizando. Uma surpresa que não tínhamos ideia que poderia acontecer tão cedo”, comenta ele.

Música nova

A realização do sonho dos músicos também tem sido traduzida em outras vertentes, aqui no Brasil mesmo. A Luneta Mágica planeja lançar no fim de outubro o single “Parte”, que leva a assinatura da gravadora Sony Music. “Em um primeiro momento, é apenas um single”, diz Omena, referindo-se ao tipo de contrato firmado com a Sony. 

Embora o contrato abranja somente o single, a felicidade é legítima. “Estamos muito felizes mesmo assim porque o mercado fonográfico está com outras tendências. Dessa forma, eles querem investir na banda sem que nós mudemos nossa música e realmente é uma conquista para a gente. Reabrir um certo espaço para música com pitadas de rock e canção. E queira ou não, ainda tem o fato de ser do Amazonas, e imagino que seja um fator muito novo para eles”, pondera o guitarrista.

Uma participação de peso no single é a do produtor Carlos Eduardo Miranda, que assina a produção da música. Miranda, que já lançou bandas como Raimundos, Skank e O Rappa, também já foi jurado de diversos shows de calouros nacionais, a exemplo de “Ídolos”, “Astros” e “Qual é seu Talento?”, e é conhecido por ser bem rigoroso em suas avaliações e escolhas.

“Miranda acabou virando nosso amigo. Passamos horas trocando ideia para chegar em um resultado estético que realmente nos agradasse. Lembro que eu mostrei a demo para ele e ele já gostou de cara, mesmo a música estando bem torta. Fora isso ainda teve o Rodrigo Sanches e o Felipe Tichauer que fizeram um trabalho técnico de finalização impressionante. Foram verdadeiras aulas”, relata Erick Omena.