Publicidade
Entretenimento
Sonho maternidade

Medicina ajuda a realizar o sonho da maternidade

Mães e Pais que não conseguem ter filhos recorrem ao auxílio de técnicas de reprodução assistida para poderem realizar o sonho de serem pais 07/05/2012 às 09:46
Show 1
Milena Reis também é exemplo de felicidade com a chegada das gêmeas
Cassandra Castro Manaus

Ter um filho nos braços e sentir a felicidade e o amor inexplicáveis experimentados pelos pais. Este sonho tão cobiçado por muitos casais, algumas vezes precisa de um “empurrãozinho” da medicina para ser concretizado.

 De acordo com os padrões médicos, um casal passa a ser considerado infértil após um ano transcorrido com relações sexuais normais sem uso de nenhum método contraceptivo e, mesmo assim, não consegue ter filhos. O índice de casais inférteis chega a 15% em qualquer população e as causas podem estar na mulher, no homem ou em ambos. O doutor Lourivaldo Rodrigues é um estudioso e apaixonado pela área da reprodução humana. Ele atua na ginecologia e obstetrícia há mais de 30 anos, sempre aprimorando o conhecimento necessário para encontrar soluções a casais muitas vezes já sem esperanças de terem filhos.

 Pioneirismo

O médico é pioneiro no Amazonas na realização da primeira inseminação artificial em 1992. Ele conta que percebeu uma escassez de profissionais e de centros especializados em reprodução humana em Manaus e resolveu investir neste segmento. “Nós temos o que existe de mais moderno em equipamentos, inclusive em relação ao exterior, e sempre estamos atualizando nosso conhecimento em técnicas e material. Hoje, o casal pode encontrar aqui mesmo no Amazonas o tratamento com qualidade para realizar o sonho de ter um filho”, afirma o médico.

 Lourivaldo Rodrigues explica que a reprodução assistida é um ramo da obstetrícia que realiza o diagnóstico e tratamento de casais inférteis. Ele conta que na maioria das vezes, os casos são resolvidos com o tratamento clínico.

“Algumas vezes, são detalhes como o momento da relação sexual não estar coincidindo com o período de ovulação da mulher”, exemplifica. Mas, nos casos mais complexos é necessário o uso de duas técnicas básicas de reprodução assistida: a fertilização in vitro ou a inseminação artificial.

Empurrão’ da medicina

O médico Lourivaldo Rodrigues já deu a alegria da maternidade e da paternidade a inúmeros casais. Luana Moreira, 32 , conta que ela e o esposo vinham tentando engravidar há 4 anos. O diagnóstico indicava que Luana possuía ovário policístico, o que fazia com que ela nem sempre ovulasse e quando isso acontecia, os óvulos não amadureciam o suficiente para uma gravidez.

Luana Moreira é só felicidade com o primeiro Dia das Mães da sua vida


Quando já se preparavam para buscar tratamento em São Paulo receberam a indicação da clínica de Lourivaldo. “Na primeira consulta eu já
entrei no consultório dele chorando, ele não sabia se me atendia ou me consolava”, relembra Luana. Para o caso deles, o médico indicou a inseminação artificial. Hoje, Luana e o marido se encantam com os pequenos Luan e Laura, gêmeos de seis meses de idade. Este vai ser o primeiro Dia das Mães de Luana. “Sou muito grata a Deus pela assistência que o Dr. Lourivaldo nos dá até hoje”.

Nazaré esperou 13 anos para ter a pequena Ana Carolina nos braços


Outra que também deve ao médico a realização do sonho de ser mãe é a funcionária pública Nazaré Normando, 40. Com 13 anos de casada, ela e o marido tinham problemas de saúde que impediam a gravidez. Em abril de 2011, eles realizaram o procedimento da fertilização in vitro com a fecundação e a reimplantação de três embriões no útero. O procedimento foi pioneiro no Norte do País porque utilizou embriões congelados. O resultado do procedimento foi o nascimento da pequena Ana Carolina, agora com dois meses de idade. “É incrível como uma criaturinha muda tanto a vida de uma pessoa”, confessa Nazaré.