Publicidade
Entretenimento
Vida

Nivaldo Motta permanece na presidência da Federação de Teatro do Amazonas

Segundo Nivaldo Motta, presidente da Fetam, o seu primeiro mandato, com duração de dois anos, serviu para reestruturar a federação 05/06/2012 às 09:32
Show 1
Esse é o segundo mandato de Nivaldo Motta à frente da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam)
RAFAEL SEIXAS ---

Durante o 9° Congresso de Teatro do Amazonas, realizado no último final de semana, no Teatro José Lindoso (Sesc Centro), ocorreu a votação para nova presidência da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam). A chapa vencedora foi a de Nivaldo Motta, que se reelegeu com 39 votos, contra 14 da chapa de Douglas Rodrigues. Segundo Nivaldo Motta, presidente da Fetam, o seu primeiro mandato, com duração de dois anos, serviu para reestruturar a federação.

Agora, o objetivo principal será o de incentivar os novos grupos e companhias teatrais da cidade. “Durante muito tempo, a Fetam ficou sem personalidade jurídica, devido a inadimplências e a uma série de fatores que a levaram a essa condição. No primeiro mandato organizamos e fizemos convênio com o Sesc (Serviço Social do Comércio) e outras instituições. No segundo, o foco será o incentivo aos novos grupos. Iremos fazer um mapeamento de quantos existem no Amazonas e procurar facilitar a inclusão desses na federação. Existem em média 30 companhias espalhadas pela periferia de Manaus que não contam com nenhum amparo legal, não têm nenhum apoio para desempenhar atividades teatrais”, diz.

Teatro na Copa
Outra medida dessa gestão será ver como as atividades voltadas às artes cênicas serão inseridas na Copa do Mundo de 2014. “A federação vai mediar um encontro com Miguel Capobiango – coordenador da Unidade Gestora da Copa (UGC) no Amazonas – para ver de que forma o teatro será integrado à Copa de 2014. A federação é mediadora também, junto ao Conselho Municipal de Cultura, da elaboração do Plano Municipal de Cultura, que será utilizado nos próximos dez anos”, disse Motta. A reunião da Fetam com a classe teatral, junto à comissão gestora do Conselho Municipal de Cultura, será feita nos dias 7, 14 e 21 de junho, na sala Peteleco, na Casa de Música Ivete Ibiapina (rua 10 de Julho, Centro). Aberto ao público em geral.

 Formação
 De acordo com Motta, o problema atual da cena teatral se resume numa palavra: formação. “Ainda não formamos a primeira turma de Teatro da UEA (Universidade do Estado do Amazonas). O curso só terá um registro legal, quando formarmos essa primeira turma”, explica. Porém, Motta comemora que um dos principais problemas do meio, o de formação de plateia, já começou a ser solucionado. “Antigamente, os grupos se apresentavam para meia dúzia de pessoas. Hoje já conseguimos colocar um público representativo. E isso é um avanço, graças à condição que a Fetam tem dado na constituição e na preparação de novos espetáculos. A entidade vem conseguindo intermediar a relação das companhias com o poder público (município e Estado), por meio de convênios e assim fazer o repasse da verba às companhias”, afirma. A Fetam funciona regularmente desde 1990, mas atuava anos antes em caráter informal.