Publicidade
Entretenimento
Vida

Nova linha da Natura quer resolver 'dilema da hidratação'

Ucuuba, frutinho de semente vermelha, é o componente principal dos novos produtos da Linha Ekos, que promete solucionar o 'paradoxo' da hidratação: uma pele sedora, mas com toque seco 25/04/2015 às 11:25
Show 1
A ucuuba permite uma textura leve graças a uma combinação de ácidos graxos que forma um composto raro, a trimiristina
Rosiel Mendonça* São Paulo

Um frutinho de semente vermelha, que cresce a 30 metros do chão, tem sido apresentado pela rede de cosméticos Natura como a nova joia da Amazônia. A ucuuba é o componente principal dos novos produtos da linha Ekos, lançados recentemente em evento na capital paulista. Com propriedade reparadora superior à do cacau, a manteiga hidratante para mãos e áreas ressecadas, a manteiga reparadora para o corpo e o hidratante corporal prometem solucionar o “paradoxo” da hidratação: uma pele sedosa, mas com toque seco.

“No Brasil, como temos um clima quente com raros momentos de frio, existe uma grande dificuldade para o consumidor escolher um produto de alta hidratação. Geralmente, quanto maior a carga de manteigas e óleos colocados nso produtos, que é o que dá o poder de hidratação a eles, mais pesado eles ficam na pele porque o filme de proteção fica muito espesso, dando a sensação de uma pele pegajosa ao longo do dia”, explica a gerente de biodiversidade da Natura, Renata Puchala.

Segundo ela, o paradoxo está aí: “ou não passo hidratante e me sinto bem ao longo do dia, mesmo que a pele vá sofrer com isso, ou uso os produtos e me sinto desconfortável”. Pensando nisso, a Natura estudou a ucuuba (cuja manteiga já era conhecida pelas populações ribeirinhas da Amazônia) ao longo dos últimos três anos e chegou às fórmulas que agora chegam ao mercado.

“Apesar de a ucuuba ter uma carga oleosa muito forte, ela tem um toque sedoso e dá um poder de hidratação de até 48h com toque seco e aveludado”, assegura Renata.

O que elas querem

De acordo com ela, no entanto, esse é apenas um dos aspectos que o público feminino leva em conta na hora de escolher o hidratante que vai levar para casa. Outro critério é a boa perfumação, que no caso da linha ucuuba é dada pelo óleo essencial extraído da casca do fruto. “O brasileiro não gosta de produtos neutros porque prefere a sensação de banho prolongado. Óbvio que o cheiro não pode ser enjoativo, até porque hidratante não é perfume”, completa a gerente.

Um fator cada vez mais evidente nas escolhas, ela diz, é o significado por trás do produto. No caso da linha Ekos, é a percepção de que a Natura entrega, além de cosméticos, valores como sustentabilidade, desenvolvimento e inclusão social. “O produto termina sendo um veículo não só de bem estar, mas também de postura responsável perante a sociedade”.

Floresta em pé

Seguindo o conceito sustentável de Ekos, a linha ucuuba utiliza embalagens ecoeficientes. Além disso, o comércio dos frutos na Amazônia envolve cerca de 600 famílias de 15 comunidades, que recebem capacitação sobre a importância em manter as árvores em pé. Só para o lançamento dos novos produtos, a Natura comprou 14 toneladas de ucuuba.

Segundo a empresa, os frutos rendem para as comunidades três vezes mais ao ano do que o tronco de uma ucuubeira derrubada. A meta da Natura é tirar a espécie da lista de ameaçadas de extinção devido à exploração intensiva de sua madeira.

Sabonetes em breve

Segundo a Natura, mesmo com seu alto poder de hidratação, a ucuuba permite uma textura leve graças a uma combinação de ácidos graxos que forma um composto raro, a trimiristina, presente em alta quantidade nessa manteiga. No segundo semestre, a marca lança os sabonetes líquidos para as mãos e para o corpo, além do sabonete em barra.

*O repórter viajou a convite da Natura Ekos