Publicidade
Entretenimento
Vida

O autor angolano valter hugo mãe fala sobre desafios da literatura entre Brasil e Portugal

Sobre suas obras e sua repercussão na literatura, valter hugo mãe revelou ainda que não pretende ser um revolucionário, mesmo com todas os elogios e prêmios recebidos 29/04/2012 às 23:55
Show 1
o autor angolano valter hugo mãe durante bate-papo no "Tacacá Literário", na I Bienal do Livro AM
MAYARA BRILHANTE ---

A presença do autor angolano valter hugo mãe movimentou a noite deste domingo (29) na I Bienal do Livro Amazonas. Em um bate-papo descontraído no espaço "Tacacá Literário", o autor falou a respeito dos desafios da língua portuguesa na literatura e como unir um diálogo consistente entre Brasil e Portugal, sua terra adotiva.

“O Brasil é muito ‘continental’. Cada região é única e possui características próprias. É muito complicado definir o que os brasileiros querem, por outro lado Portugal também é assim. Os portugueses perguntam o que os brasileiros pensam deles e vice versa. Acho que a imagem histórica de Portugal fez com que os brasileiros de alguma forma se igualassem ao mundo europeu”, disse o autor.

Sobre suas obras e sua repercussão na literatura, valter hugo mãe revelou ainda que não pretende ser um revolucionário, mesmo com todas os elogios e prêmios recebidos. “Não sou brilhante o suficiente para estreitar os laços e resolver as diferenças entre os países, mas gosto muito do Brasil e admiro os grandes nomes da literatura local. Escolhi Portugal como minha terra adotiva e vejo que os dois povos estão unidos neste sentido. Há uma admiração e influência mútua”, revela.

Em sua última obra “o filho de mil homens” (2011), valter hugo mãe usou a tristeza como inspiração. “Não tem como dizer que a vida é bela. É preciso nutrir o respeito profundo com a dor em cima da qual construímos a felicidade. Aquilo que nos faz sofrer é capaz de construir coisas boas”, conta.

O autor revelou também que nunca está totalmente satisfeito quando escreve um livro. “Tenho muita dificuldade quando escrevo um livro. Nunca estou convencido o bastante com minhas obras, não sei se elas estão totalmente prontas ou se posso fazer melhor”, conclui valter.

valter hugo mãe, além de autor é artista plástico, DJ e vocalista da banda “O Governo”, mas escolheu a literatura como sua paixão e por suas obras de qualidade, recebeu diversos prêmios, entre eles o prêmio internacional José Saramago, em 2007, o principal da língua portuguesa, com o livro “nosso reino” (2004) e “o apocalipse” (2006).