Publicidade
Entretenimento
Estilo hipster

O estilo hipster de ser

Conheça os lançadores de tendências que acabam virando moda 25/09/2012 às 07:46
Show 1
Eles lançam estilos e tendências que a moda incorpora só para dizer: “eu usei primeiro!”
Felipe de Paula Manaus

O conceito mais popularizado sobre eles faz referências aos óculos garrafais, blusa quadriculada e calça skinny, mais ou menos entre o indie e o nerd e com um pegada fashion, é claro.

Considerados pelos teóricos da moda como lançadores de tendência, os hipsters criaram estilos excêntricos, mas que acabaram sendo incorporados pelo mundo da moda. Inventaram uma estética própria, onde o fator exclusividade e as referências cult têm lugar de destaque.

 “A palavra-chave para entender o hipster é referência. Ele é um nerd com vida social, que gosta de rock alternativo e vê filmes que ninguém conhece, mas adora fazer referência a eles”, define o blogger André Barbosa, que não se considera hipster, mas utiliza alguns de seus elementos estéticos em sua forma de vestir. “Vez ou outra você coloca uma referência ou outra assim. Não tem como montar um look inspirado numa coisa só”, diz o operador do blog maoleskine.wordpress.

 O estudante de design Marco Guerreiro, que também escreve sobre moda e comportamento (calornoinverno.wordpress), observa que há uma clara popularização dessa figura, muito graças a redes sociais como o Instagram, o Tumblr e o próprio Facebook. “Hoje as redes de fast fashion (lojas de departamento) incorporaram o estilo, pois é uma estética muito bem transada”, argumenta Marco, cujo trabalho de conclusão de curso, uma coleção de roupa, tem os hipsters como um dos públicos-alvo. “Eles estão à frente das tendências”, justifica.

 Para estudante de arquitetura Giovana Nobre, criadora das bolsas Dream Case, não há como rotular o hipster, pois a sua raiz está na originalidade. Uma vez que é rotulado, perde-se a essência do que não é um estilo, mas uma atitude. “Não me considero hipster, mas não me importo se, de certa forma, me encaixo no conceito”.

 É assim mesmo: na medida em que a própria moda assimila conceitos da cultura hipster, eles próprios abandonam seus padrões estéticos em busca de inovação permanente.

Movimento

Para a criadora de moda Cristiane Batista, as redes sociais encontram grande potencial de reprodução da cultura e dão maior movimento ao mundo da moda. “A moda engloba tudo. Quando fazemos pesquisa para lançar uma coleção, a gente tem que estar antenada com o que está rolando em todos os ambientes”.