Publicidade
Entretenimento
Vida

Obra de Nelson Rodrigues é encenada em Manaus

A obra da fase mítica de Nelson Rodrigues, "Senhora dos Afogados", do Grupo de Teatro e Dança Origem, tem apresentação punica na próxima terça-feira (27). O espetáculo conta com a com direção de Jorge Bandeira e assistência de Chico Cardoso. A montagem irá contar com uma ambientação de lendas, mitos e dos habitantes da floresta amazônica. 26/11/2012 às 18:50
Show 1
Senhora dos Afogados
acritica.com Manaus (AM)

O Grupo de Teatro e Dança Origem realiza a montagem de "Senhora dos Afogados", do autor Nelson Rodrigues. Espetáculo que marca as comemorações do centenário de nascimento de Nelson, o “anjo pornográfico” e a primeira encenação da fase mítica do autor no Amazonas. A única apresentação acontece na terça-feira (27), às 20h, no Les Artistes Café-Teatro, avenida 7 de Setembro, Centro, ao lado do Banco da Amazônia.

Os ingressos estarão à venda à R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia para estudantes e atores com carteira e idosos),no dia da apresentação na bilheteria do espaço cultural

“Senhora dos Afogados”, escrito em 1947, é uma releitura da tragédia grega "Electra", de Sófocles e de "Electra Enlutada", de Eugene O'Neill. Nesta montagem o ambiente amazônico toma conta da cena e as personagens serão guiadas pelos ciclos da cheia e da vazante, que movem a vida nesta região às margens do rio-mar, o Rio Amazonas, cravado no misticismo caboclo e ribeirinho e cercado pelos mistérios de lendas. A vida cabocla e ribeirinha será revelada, através da obra de Nelson Rodrigues.

Homenagem a Nelson Rodrigues

Em 2012, o Brasil todo irá comemorar o centenário desse genial dramaturgo, esse, por si só, já seria um motivo justo para a montagem de “Senhora dos Afogados”. Entretanto, somente depois um longo seminário interno sobre dramaturgia e, depois de avaliar a importância de Nelson para o teatro contemporâneo brasileiro e ler todos os seus textos, o Grupo Origem decidiu montar “Senhora dos Afogados”.

Tanto pela possibilidade de continuar investigando a linguagem que o grupo desenvolve há 27 anos, que une teatro e dança como linha mestra de suas montagens, quanto pela força trágica que revela a ruína dos laços familiares a partir da ruptura com as tradições, tema atual e também responsável por uma realidade social tão dura.