Publicidade
Entretenimento
Buzz

Pai dos filhos de Val Marchiori diz a revista que ela é 'prostituta de luxo'

"Ela não acompanha o dia a dia deles, não os leva à escola, não brinca com eles, não dá carinho e sequer os acompanha em consultas médicas quando adoecem, entre outros absurdos", disse pai 26/01/2012 às 18:11
Show 1
Val Marchiori
UOL/TELVISÃO ---

A polêmica em torno da origem do dinheiro da perua Val Marchiori, uma das estrelas do reality “Mulheres Ricas” da Band, ganhou novo capítulo nesta quinta (26). O pai de seus filhos, o empresário Evaldo Ulinski, acusar a ex-amante de ser “prostituta de luxo” e de negligenciar os gêmeos Eike e Victor, frutos de um envolvimento “estritamente sexual” que Ulinski afirma ter tido com a socialite.

O empresário deu uma entrevista ao site da revista “Veja” na qual acusa Val de ser “péssima mãe”. “Embora tivesse leite em abundância, ela jamais amamentou os filhos, dizia que não era vaca holandesa para amamentar bezerros. Nenhum dos nossos filhos sequer tomou um gole de leite materno. Isso para mim é totalmente descabido. Além disso, os meninos são cuidados e educados por babás. Ela não acompanha o dia a dia deles, não os leva à escola, não brinca com eles, não dá carinho e sequer os acompanha em consultas médicas quando adoecem, entre outros absurdos.”

O empresário ainda diz que Val tentou chantageá-lo, usando os filhos para conseguir vantagens financeiras sobre ele. Como não conseguiu seu objetivo, afirma Ulinski, decidiu expor a ele e a sua família. Ele afirma ainda que ambos nunca foram casados e desafia Val a mostrar a certidão de casamento entre eles.

Em determinado trecho da entrevista, o empresário diz que só dá pensão aos filhos e insinua que Valdirene (ele faz questão de chamá-la pelo nome de batismo) obtém dinheiro por meio da “mais antiga profissão do mundo”. “Tenho provas de que ela é e sempre foi prostituta de luxo, e se utilizava de sua profissão para tirar vantagens de pessoas bem sucedidas e desavisadas.”

Procurada pela reportagem do UOL, Val Marchiori não atendeu ao telefone celular até a publicação dessa reportagem.