Publicidade
Entretenimento
Buzz

Patrícia Abravanel revela que não se sente confortável no papel de apresentadora

Questionada se se sente à vontade como apresentadora, ela dispara: “Claro que não (risos)! É super difícil. Cada vez que entro aqui é um desafio" 11/04/2012 às 07:51
Show 1
Patrícia Abravanel
uol/televisão ---

Ainda insegura à frente de seu primeiro programa, mas firme em cima dos seus saltos Christian Louboutin, Patrícia Abravanel chega sorridente para gravar o “Cante Se Puder”, no SBT, que vai ao ar nesta quarta-feira (11). Ela cumprimenta os jurados, os convidados, a plateia e o responsável pela diversão, Márcio Ballas, que brinca dizendo que a colega está com figurino à la Iemanjá, num vestido branco.

Questionada se se sente à vontade como apresentadora, ela dispara: “Claro que não (risos)! É super difícil. Cada vez que entro aqui é um desafio. Muita coisa nova, três jurados, câmeras, plateia, apresentador, convidados, diretor... Tenho que prestar atenção em tudo. Aprender a fazer tudo ao mesmo tempo. Muita informação nova.”

“Tenho aprendido e ouvido que apresentar é como ter um papel. Você acaba criando o seu próprio personagem, pois não é sempre que está feliz, bem-humorada, disposta, com a energia lá em cima. Muitas vezes você é um personagem. É uma profissão que exige bastante”, conclui.

Mão na massa

Durante um dos intervalos da gravação, que dura cerca de 6h, Patrícia e Márcio recebem algumas dicas do diretor, Ricardo Mantoanelli (Rica), nos corredores do SBT. “Não fica ligada no tp (teleprompter, aparelho que o apresentador usa para ler os textos), porque senão você fica olhando para cima, perdida. Vem na minha, Pati, que nisso tenho experiência!”, diz o diretor. A filha de Silvio ouve o toque e aproveita para tuitar e trocar algumas figurinhas sobre o andamento da atração com Ballas.

Rica afirma que a filha número quatro de Silvio Santos não brinca em trabalho. “Tenho uma relação muito franca com ela. A Pati é teimosa, me questiona, ouve meus palpites, é espontânea. Ela tem muito que aprender, mas já melhorou bastante, tem um mestre em casa, né? Está no DNA”, afirma o diretor, fazendo referência a Silvio Santos.

Com uma vasta experiência no teatro e também na TV, Márcio (que apresentava “É tudo Improviso”, na Band) é responsável por conduzir o game show e dar algumas dicas para Patrícia. “Passo o texto com a Pati, às vezes ela pede umas dicas, combinamos algumas falas. Como ela sabe que está começando, é super humilde, esforçada. “

Apesar dos obstáculos, a apresentadora de 33 anos assume que, querendo ou não, tem o dom da comunicação. “Eu já queria um programa de plateia, me experimentar, ver o que era ser apresentadora. Acredito que isso acabou sendo uma vocação. Quero meu espaço”, diz Patrícia, que foge de comparações com o pai e tem consciência que não tem como substituí-lo – “Ele [Silvio Santos] é único!”.

Sem moleza, Patrícia revela que teve que fazer testes e que também recebe dicas do pai em casa. “Fiz prova como qualquer outra pessoa. O pessoal do comitê de criação gostou do resultado e quis me dar uma chance. Meu pai diz que preciso fazer fono e pede para eu ser autêntica. Ele observa mais os programas que gravo com ele."

Seguindo a linha de “não sou filha do dono”, em um dos intervalos, Patrícia agacha para conversar com a assistente de palco Daniela Franco. Elas batem papo durante um tempo e logo depois Abravanel resolve interagir com a plateia. Tira fotos, canta, dança e chama a dupla Rosa e Rosinha - um dos convidados - para agitar o público.

Troféu Imprensa

Sobre ter ganhado o troféu imprensa revelação 2011, Patrícia afirma que não esperava e que viu isso como um incentivo. “Fiquei surpresa, mas senti que foi um encorajamento. Não me considero uma revelação. Eu olho meus vídeos, me critico e vejo que tenho que melhorar várias coisas. Não imaginava que iria me tornar apresentadora, estar em frente às câmeras, acredito que isso acabou se tornando uma vocação.”

“Agora estou focada no programa, em melhorar como apresentadora e ser uma comunicadora. Tenho feito cursos, lendo muito. O SBT está se reinventando cada vez mais. A gente está cada vez mais competitivo, brigando bem, queremos ganhar”, declara Patrícia.

Versão brasileira de “Sing If You Can”

“Cante Se Puder” é a versão brasileira do game show inglês “Sing If You Can”, em que o objetivo principal é atrapalhar o convidado e não deixa-lo cantar.  “Em 13 programas já conseguimos produzir 104 provas. Somos mais agressivos na hora de sacanearmos, temos mais liberdade. No segundo semestre vamos deixar o quadro ‘Roda do Dinheiro’ mais difícil, com desafios de adivinhação, com referências a filmes e atrações televisivas”, conta Rica.

“Esse é o primeiro programa de game show que eu dirijo e o principal desafio foi lidar com a parte cenográfica. Antes de gravarmos, passo um dia aqui checando as brincadeiras”, diz o diretor.