Publicidade
Entretenimento
Vida

Pedro Andrade fala sobre experiência em Nova York em seu novo livro

Correspondente do “Manhattan Connection” fala de seu livro “O melhor guia de Nova York”, que traz dicas e histórias pessoais da Big Apple, e até ensina como entrar em locais restritos ou disputados 12/01/2014 às 16:46
Show 1
Pedro Andrade
JONY CLAY BORGES ---

Nova York, afirma Pedro Andrade, já estava nele antes dele colocar os pés na metrópole. Doze anos depois de desembarcar pela primeira vez na Big Apple, onde vive desde então, o jornalista e ex-modelo divide a sua experiência particular da cidade com os leitores brasileiros com “O melhor guia de Nova York”. No livro, ele reúne dicas de gastronomia, cultura, moda e showbiz permeadas de histórias e fotos pessoais.

“É um guia extremamente pessoal. Escrevi cada palavra, tirei cada foto e acompanhei cada etapa do processo”, assinala ele, que foge ao estilo de verbetes dos guias comuns, e até vai além, ensinando como conseguir vagas em restaurantes disputados ou encontrar bares “secretos”, por exemplo.

Em entrevista ao VIDA & ESTILO por email, o correspondente do “Manhattan Connection” da Globonews fala sobre o guia e sobre sua relação com Nova York. Confira!

Como surgiu a ideia de fazer um guia sobre Nova York?

Sempre gostei de escrever. Publicar um livro está nos meus planos desde a infância. A ideia do guia surgiu naturalmente quando, graças ao meu trabalho, tive que explorar NY das mais diversas formas. Vi que tinha informações valiosas (e boas histórias) sobre a Big Apple e a vontade de dividi-las com os brasileiros tornou-se inevitável. Além disso há uma carência de guias que mostrem a vida local da cidade. Procurei focar não só nos lugares turísticos, mas também na experiência do dia a dia nova-iorquino.

O que faz do livro “O melhor guia de Nova York”?

É um guia extremamente pessoal. Escrevi cada palavra, tirei cada foto e acompanhei cada etapa do processo. Acredito que o fato de eu ter chegado em NY 12 anos atrás, sem grana, sem conhecer qualquer pessoa e ter passado por muitos “perrengues”, me deu uma visão da cidade totalmente distinta da “Capital do Mundo” em que vivo hoje. Aprendi a ver encantos sem dinheiro, sem estar familiarizado com Manhattan e absolutamente sozinho, mas, também tive a capacidade de aos poucos ir me apaixonando por outros ângulos da Big Apple (com mais conforto, amigos, acesso a lugares exclusivos e experiências privilegiadas).

O que o livro traz de particular, em relação a outros guias da metrópole?

Eu diria que este livro foge dos padrões “item por item” da maioria das publicações focadas em turismo (exemplo: Restaurante japonês: Nobu, Soto, Yasuda e outros). Nele, eu foco em um estilo mais individual onde conto histórias minhas, mostro locais que só quem mora aqui conhece, e proponho programas que o leitor não vai encontrar em outros guias. Há também um aspecto comportamental – como conseguir reservas em restaurantes disputados; o que fazer para entrar em boates de acesso restrito; como achar “bares secretos”; onde ir caso você esteja viajando sozinho, e por aí vai.

Como começou e se desenvolveu sua “história” com Nova York?

No livro menciono que NY já estava em mim, muito antes de eu estar nela. Sempre fui fascinado por referências nova-iorquinas. Filmes de Woody Allen, músicas de Frank Sinatra e Billy Joel, a arquitetura gótica do Chrysler Building, e a lista continua.

Quando coloquei os pés no aeroporto JFK pela primeira vez, a paixão já estava estabelecida. Apesar do orgulho que tenho de ser carioca, pela primeira vez me senti pertencendo a um local. Me apaixonei pela rotina, pela segurança que NY oferece, pela vida cultural, pelas pessoas e pela incomparável diversidade em termos de raça, religião, e estilos.

Como define sua relação com a Grande Maçã?

Amor incondicional.

Pretende fazer lançamento com noite de autógrafos no Brasil? Quando e onde?

Sim. No final de Janeiro no Rio e em São Paulo. Estou tentando ir a mais lugares, mas como ancoro um programa diário em rede nacional americana, meu tempo é restrito. No entanto, ainda tenho esperança de fazer uma semana inteira em diferentes cidades.

Poderia dar algumas sugestões para o leitor conferir em NY, neste início de 2014?

Minha sugestão é que o leitor confira o livro e dê uma olhada no meu site e nas minhas redes sociais (@PedroAndradeTV). Nova York nunca mais será a mesma!

De barman a âncora de TV

Antes de se tornar o jornalista de renome internacional que é hoje – inclusive com uma indicação ao Emmy no currículo, em 2010, por seu trabalho à frente do “First Look”, programa sobre a cidade de Nova York como ela é –, Pedro Andrade trabalhou com firmeza e insistência para conquistar seu lugar ao sol na Big Apple.

“Cheguei aqui com uma mão na frente e outra atrás, mas sou determinado, disciplinado, cavador e persistente”, conta ele, por email. Até conseguir seu posto nas bancadas de televisão, trabalhou como barman e até carregador de gelo. Nada de que ele se envergonhe – muito pelo contrário. “Ainda existe um preconceito muito grande no Brasil com relação a ‘sub-profissões’. Em Nova York, o bartender pode ter um PhD em antropologia, o flanelinha pode ser professor universitário e o chapeleiro pode estar pagando o curso de Direito com o salário da boate. Diria que é uma cidade baseada em respeito”.

Hoje correspondente de programas da americana ABC Fusion e da brasileira Globonews, Andrade preza sua formação e se orgulha de ter chegado onde chegou por mérito pessoal.

“Tive a sorte de nascer em uma família que me ensinou desde cedo que nada na vida é mais importante que educação”, declara o jornalista. “Nunca tive UMA única oportunidade que catapultasse minha carreira. Em momento algum encontrei um atalho profissional. Cada conquista veio em seu tempo. Um degrau de cada vez”.

 Perfil: Pedro Andrade

Nascido no Rio de Janeiro, em 1979, é jornalista e ex-modelo. Cursou Jornalismo na Faculdade da Cidade, no Rio. Atuou como modelo por dois anos, com desfiles na Europa e nos Estados Unidos. Hoje ancora o “The Morning Show”, da ABC Fusion, e é correspondente do “Good Morning America”, maior programa matinal do mundo. Desde 2008, apresenta o “Manhattan Connection” da Globonews. Também divulga dicas diárias de NY e de arte, entretenimento e cultura em seu site (www.pedroandradetv.com).