Publicidade
Entretenimento
Vida

Pelo menos 40% das pessoas já perderam dinheiro por conta da procrastinação

Você vive esquecendo de pagar as contas, deixa tudo pra última hora, tem sempre um monte de pendências  e vive se prejudicando por causa disso? Seu problema tem solução 26/08/2012 às 16:28
Show 1
Pessoas protelam porque pensam na chatice da atividade, não nos benefícios
Joubert Lima Manaus

O hábito é mais comum do que se imagina. Praticamente todas as pessoas, mesmo aquelas muito metódicas, em algum momento, deixam para fazer depois algo que precisaria ser feito o quanto antes. Essa atitude, frequentemente, resulta em prejuízos pessoais, trabalhos mal feitos e projetos fracassados. Nas universidades, até 90% dos estudantes admitem ter problemas sérios com isso. Especialistas financeiros calculam que pelo menos 40% das pessoas já perderam dinheiro por causa dela, a procrastinação.

Mas o que leva as pessoas a deixar tarefas importantes para última hora mesmo sabendo que terão problemas? Para o escritor Jeffery Combs, autor do livro “Você não pode deixar tudo para depois”, a resposta reside no fato de todos gostarmos mais de recompensas imediatas. É por isso que parece melhor ir ao cinema do que começar o trabalho final da faculdade.

Foi com pensamentos assim que o pedagogo Marcílio Melo, 34, demorou nove anos para entregar seu trabalho final de curso. “Sempre achava uma desculpa para fazer depois e o tempo ia passando”, lembra. Combs ressalta que procrastinar de vez em quanto é normal. O problema é quando isso causa atrasos de vida, prejuízos como o experimentado por Marcílio.

Como escapar dessa armadilha? O diretor executivo da Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC), Mike Martins, informa que há várias técnicas bastante eficazes. Uma delas consiste em negociar consigo mesmo. Você pensa: “preciso mesmo fazer isso agora ou posso adiar e fazer outra coisa?”. Mude a pergunta para: “Quais serão as consequências se eu não fizer isso agora?”. Isso nos obriga a encarar o corre corre, a pressa e os problemas que teremos se deixarmos a tarefa para depois.

Outra estratégia é fazer uma lista das coisas que precisam ser feitas, atribuindo níveis de urgência. Em seguida, determinar quando e como serão feitas. Para isso, o uso de uma agenda é muito importante. Com as obrigações por escrito, com data e hora para serem cumpridas, será mais difícil protelar.

A terceira dica consiste em estabelecer recompensas pelas tarefas cumpridas (e “punições” para as não cumpridas). Essa foi a dica que salvou a carreira de Marcílio. “Escolhi um horário fixo para me dedicar ao trabalho final todos os dias. Se conseguisse manter a rotina, não estudaria no final de semana. Se falhasse em qualquer dia, teria que estudar domingo”. Deu certo. Marcílio conseguiu se formar em 2009 e se considera um protelador em recuperação.

Grande parte dos universitários admite problemas sérios com protelação. O número de estudantes equivale a 90%

Muita gente já teve perdas financeiras severas por adiar decisões importantes. O número de prejuízos equivale a 40%