Publicidade
Entretenimento
Vida

Pequeno dicionário ajuda a entender as delícias de Páscoa

Um guia para ajudar na escolha de comer o que pode ser melhor ovo de páscoa. Nos mais variados gostos que pode ser chocolate ao leite, amargo, meio amargo, e por ai vai, você escolhe o sabor que mais agrada o seu paladar 06/04/2012 às 16:22
Show 1
Ovo de Páscoa para todos os sabores
Luciana Alvarez/Do UOL Manaus

Marmorizado, orgânico, com praliné... Confuso ao escolher o melhor ovo de Páscoa? Não se preocupe: o UOL Receitas e Restaurantes preparou um guia que vai ajudar você a entender os principais termos relacionados aos chocolates. Confira:

Ao leite – São chocolates mais doces, com paladar mais suave, por terem mais leite em sua composição. Em geral são fórmulas com menos de 50% de massa de cacau.

Amargo / meio amargo – Classificação que está caindo em desuso, pois os fabricantes têm optado por dar a porcentagem de cacau (veja mais abaixo). O termo “amargo” é usado tradicionalmente quando o chocolate tem mais de 70% de massa de cacau; já “meio amargo”, em torno de 50%.

Branco – Sua fórmula mistura manteiga de cacau, açúcar e leite, mas não contém a massa de cacau. Por isso sua cor é branca e também por esse motivos alguns dizem que nem se trata de chocolate de verdade.

Crocante – Não há uma fórmula padrão: pedaços de nozes, castanhas, amêndoas, macadâmias, flocos de arroz e até grãos de quinoa são usados para que o chocolate faça o som de “croc croc” ao ser mordido.

Diet – Chocolate destinado a diabéticos e pessoas que precisam controlar o açúcar em sua dieta. Ele contém gorduras e às vezes até mais calorias em relação ao chocolate comum, mas não há adição de açúcar.

Gianduia – Originalmente, o nome foi dado a uma pasta feita com 70% de chocolate e 30% de creme de avelã. Usado de forma mais genérica, o termo designa o chocolate que tem pasta de avelã em sua composição, em qualquer proporção.

Marmorização – É a mistura de chocolates de várias cores –em geral branco e ao leite, ou branco e amargo– mas sem que elas se fundam completamente, deixando assim uma aparência de mármore. Alguns ovos podem apresentar ainda cores avermelhadas e amareladas, devido ao uso de corantes no chocolate branco.

Macadâmia – Tipo de noz, originária da Austrália, mas atualmente também produzida no Brasil.

Marzipã – Pasta doce e modelável, feita à base de amêndoas moídas, açúcar e clara de ovo. Sua origem é árabe.

Orgânico – Quando o cultivo do cacau é feito de forma orgânica, ou seja, sem o uso de pesticidas, o chocolate também ganha o título de orgânico.

Porcentagem de cacau – Quanto mais massa de cacau é usada na fórmula do chocolate, menor fica a quantidade dos outros elementos, como manteiga de cacau, leite e açúcar. Portanto, o chocolate com mais cacau é tido como mais “puro” e seu gosto é mais forte.

Praliné – Espécie de crocante, feito de oleaginosas moídas recobertas por açúcar caramelizado.

Sem lactose / zero lactose – Chocolate voltado para pessoas com intolerância ao leite de vaca, normalmente usado na composição dos chocolates. O leite tradicional é completamente retirado da receita, ou substituído por leite de soja.

Trufado ou recheado – Esses termos indicam que entre duas finas camadas de chocolate que formam o ovo há um creme doce, podendo ser dos mais variados sabores.