Publicidade
Entretenimento
Vida

Pesquisas apontam que estresse faz o cérebro reduzir

Situações delicadas da vida do ser humano, como perda de emprego e morte de entes queridos resulta na perda de massa em regiões do cérebro que influenciam nas ordenações emocionais e psicológicas 19/12/2012 às 09:38
Show 1
O cérebro também precisa ser exercitado
acritica.com Manaus, AM

O estresse não causa malefícios apenas emocionais. O corpo também sente os incômodos do que o estado de espírito traz. Um dos órgãos é o cérebro, conforme estudos realizados por pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. As pesquisas confirmam que o estresse faz ‘encolher’ o tamanho do cérebro.

Situações delicadas da vida do ser humano, como perda de emprego e morte de entes queridos resulta na perda de massa em regiões do cérebro que influenciam nas ordenações emocionais e psicológicas.

Para a autora da pesquisa, Emily Ansell, o fato de não saber lidar com o estresse hoje pode trazer incapacidades futuras. "A acumulação de eventos estressantes pode fazer com que os indivíduos tenham maior dificuldade em lidar como estresses futuros, especialmente se estes exigirem controle de esforço, regulação emocional, e integração social", certificou.

O principal objetivo do estudo, segundo Emily, é conscientizar a população acerca de tratar tudo o que causa estresse. "O cérebro é dinâmico e plástico e as coisas podem melhorar, mas apenas se o estresse é tratado de maneira saudável. Se não, os efeitos podem ter impactos negativos tanto na saúde física, quanto mental.Temos que encontrar formas de lidar com as consequências emocionais”, assegurou a pesquisadora.

Os efeitos venenosos do estresse podem acometer também pessoas saudáveis. A pesquisa mostrou imagens cerebrais que mostram a redução no cérebro logo após o acontecimento de situações com nível alto de estresse. Se os danos forem identificados a tempo, é possível que doenças sejam evitadas, como diabetes e a hipertensão. A pesquisa foi publicada no jornal Biological Psychiatry.