Publicidade
Entretenimento
Vida

Primeira Classe: Savana Maia

'A gente precisa guardar o nosso coração para o que vai nos fazer feliz, e isto para mim, é Deus', afirma a ortodentista, que também é professora e mãe 11/10/2015 às 15:22
Show 1
Quando questionada a respeito de suas paixões, dra. Savana não titubeia: em primeiro lugar da sua lista está Deus. “Frequento a Igreja Presbiteriana de Manaus e faço parte de um grupo de mulheres que se reúne toda quinta-feira para orar”, afirma
Loyana Camelo Manaus (AM)

No momento em que abriu a porta de sua casa para nos receber, Savana Maia percebeu que o brinco que estava usando quebrou. sem qualquer preocupação, deixou o item de lado e sentou para conversar conosco. “Eu não invisto nestas coisas porque não é o que está no meu coração. A gente precisa guardar o nosso coração para o que vai nos fazer feliz, e isto para mim, é Deus”, comenta. Este é só um dos traços da simplicidade da ortodentista renomada, que acumula títulos de mestre e doutora pela Unesp de Araraquara (SP), professora universitária e mãe de duas meninas.

COMO INICIOU SUA CAMINHADA ACADÊMICA NA ORTODONTIA?

Durante a faculdade de odonto, eu gostei muito de ortodontia. Então escolhi essa área para ir caminhando. Meu sonho era estudar na Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara (interior de SP), porque era a escola mais famosa do País e lá se ensinava técnicas de estética. Estudei durante um ano, eram só quatro vagas! E passei. Lá fiz mestrado e doutorado.

COMO FOI ESTUDAR NA UNESP?

Foi ótimo. Lá, pude escrever em três livros e isso era um sonho. Eu estudava muito, publicava muito, fazia muita pesquisa. Durante o doutorado ganhei o Prêmio de Maior Produtividade Científica da Unesp. É um diploma bem lindo que tenho no meu consultório.

FALE UM POUCO DA SUA EXPERIÊNCIA COMO PROFESSORA.

Sou professora da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) há 10 anos. Há três anos veio o concurso e eu fiz, então hoje sou professora concursada. Lá, a gente atende pessoas carentes também e isso me traz muita alegria. Por vezes, estar no consultório, eu vejo casos mais elitizados, deixando o sorriso bonito o paciente que está pagando... Mas e quem não tem condições? Na universidade têm esses casos.

O QUE MAIS GOSTA NA ÁREA QUE ESCOLHEU?

A ortodontia mexe com a autoestima das pessoas, sendo capaz de modificar a harmonia facial inteira. Devolve o sorriso da pessoa, devolve a vida, a alegria. A gente tem que ajudar né? Porque a gente não leva nada de material nessa vida.

VOCÊ JÁ CAMINHOU TANTO COM TÃO POUCA IDADE...

Meus números são altos! [risos]. Mas é porque me formei bem nova na faculdade, com 21 anos. Terminei o mestrado com 25 e no doutorado com quase 30. Atendo no meu consultório já há 13 anos.

É CASADA?

Sim, com Renato Gallo [cirurgião plástico]. Estamos há 11 anos juntos.

E VOCÊ AINDA FOI MÃE RECENTEMENTE, NÃO É?

Sim e estou inclusive de licença maternidade no momento. Sou mãe de Julia (6 meses) e Rafaela, de dois anos e meio. Defendi o meu doutorado com barrigão de oito meses. [risos].

COMO A MATERNIDADE MUDOU SUA VIDA?

A maternidade veio em uma fase madura minha, mesmo eu sendo nova. Eu conquistei os títulos que eu queria e então ela veio. Daí me afundei nessa parte de família e foi tudo gostoso. Adoro estar com as meninas, adoro estar em casa. Eu e meu esposo somos bem caseiros.

CONSIDERA-SE VAIDOSA?

Faço o básico: vou ao salão uma vez por semana, faço unha. Passo protetor solar todos os dias. O que faço mesmo é cuidar da saúde.

FAZ EXERCÍCIOS FÍSICOS?

Faço porque tem que fazer, né [risos]. Já gostei muito. Hoje, a personal trainer vem, a gente corre, caminha, faz circuitos pelo condomínio.

O QUE GOSTA DE FAZER NO TEMPO LIVRE?

Dou prioridade para ficar com as meninas. E quando dá 17h todos os dias, estão todos os avós delas na minha casa. Somos muito unidos.

UMA INFLUÊNCIA ESPECIAL

A passagem pela Unesp foi tão produtiva para dra. Savana, que lá ela pode contribuir com três livros da área de ortodontia: duas edições (de 2008 e 2010) do livro “Nova visão em Ortodontia e Ortope-dia funcional dos maxilares” e o “Atualização em prótese dentária - procedimentos clínico e labora-torial”. A produção incansável de artigos da qual a ortodentista tanto se orgulha - e com razão - a levou a participar de inúmeros congressos nacionais e internacionais. Toda essa paixão pela pesquisa tem uma semente muito especial: a mãe Lucia Maia, pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia (Inpa). “Acho que daí veio a minha paixão pelos livros e artigos. Desde pequena eu a via pesquisando”, diz Dra. Savana.

SEM MEDO DE DECLARAR A FÉ

Quando questionada a respeito de suas paixões, dra. Savana não titubeia: em primeiro lugar da sua lista está Deus. “Frequento a Igreja Presbiteriana de Manaus e faço parte de um grupo de mulheres que se reúne toda quinta-feira para orar”, afirma. Sua devoção lhe faz, inclusive, dar prioridade sempre às coisas mais simples do que a objetos caros, por exemplo. “Se você for olhar o meu guarda-roupa, eu não tenho joias, não tenho bolsas de marca. Isso porque a Bíblia fala: ‘Guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida’. Então eu guardo meu coração para Deus”, diz, com brilho nos olhos. “ Adoro a Bíblia. Sempre achei interes-santíssimas as histórias que ela traz”.

BRINCADEIRA LEVADA À SÉRIO

Na casa de dra. Savana, brincadeira é levada à sério. Existe um espaço livre de qualquer móvel, justamente para que as crianças possam brincar à vontade. Na parte de trás há um painel de pintura (batizado de “Ateliê Vovô Helinho”, nome do seu sogro), onde as meninas fazem a festa. Ainda há uma casinha de fanto-che para fazer teatrinhos. dra. Savana inclusive leva a brincadeira para a hora da refeição das filhas, fazendo pratos com dese-nhos para dei-xar tudo mais gostoso. “Ser mãe é isso: a gente desco-bre dons que nem sabia que tinha”, ri.

LOUVOR E LIVRO DO MOMENTO

À parte da Bíblia, que dra. Savana Maia diz ser o seu livro favorito, ela comenta a leitura que está fazendo no momento: “Uma vida de milagres”, de Ezenete Rodrigues. A autora é pastora e intercessora do Ministério de Louvor Diante do Trono, do qual também participa Ana Paula Valadão. “A gente tem uma relação meio próxima, uma afinidade”, confessa a ortodontista, que admira bastante a carreira musical de Ana Paula. “No meu carro se eu puder eu sempre estou ouvindo um louvor. Também sou fã da Fernanda Brum”.