Publicidade
Entretenimento
Vida

Projeto 'Horizontes Urbanos' traz à Manaus espetáculo da Cia Mário Nascimento

Desenvolvida no entorno de pontos de ônibus, a performance é uma intervenção urbana que faz uma crítica humorada ao transporte coletivo no Brasil e promove a interação entre os elementos da dança e da arquitetura 21/08/2012 às 08:38
Show 1
Cia. Mário Nascimento desembarca em Manaus com uma equipe de oito bailarinos que farão performances nas ruas
ROSIEL MENDONÇA ---

Manaus vai receber nos dias 23 e 24 o espetáculo de dança “Parada 7”, da Cia. Mário Nascimento, de Minas Gerais. Desenvolvida no entorno de pontos de ônibus, a performance é uma intervenção urbana que faz uma crítica humorada ao transporte coletivo no Brasil e promove a interação entre os elementos da dança e da arquitetura, tudo isso tendo como pano de fundo o fluxo de pessoas na cidade. O espetáculo abriu a quarta edição do projeto Horizontes Urbanos Vivo EnCena - Mostra Internacional de Dança em Espaço Urbano, no dia 10 de julho, em Belo Horizonte. Na capital amazonense, as encenações deverá acontecer na avenida Getúlio Vargas, próximo à Avenida 7 de Setembro, no dia 23, às 16h, e na avenida Eduardo Ribeiro, próximo ao Carrefour, no dia 24, às 10h. Quem assina o espetáculo em parceria inédita são os diretores Mário Nascimento e Rosa Antuña. Nascimento contou que “Parada 7” também é a primeira incursão da companhia em trabalho de rua. “Está sendo uma experiência muito interessante para o grupo, pois já era uma vontade nossa fazer algo nesse formato. Embora já levássemos nossos espetáculos para espaços públicos, eles não eram pensados inicialmente para fazer essa interação com a arquitetura dos lugares e com os transeuntes”, explicou o diretor.

Conceito
De acordo com o coreógrafo, a ideia de “Parada 7” é ser um ponto de fuga em meio ao caos urbano. “Usamos como cenário de fundo os pontos de ônibus abarrotados de pessoas à espera de condução. Com as nossas performances, queremos tirar as pessoas dessa rotina, mostrar que elas podem ler, dançar, conversar, sair da monotonia desse momento que às vezes parece interminável”.

O espetáculo também apresenta um tom crítico em relação a essa realidade, e os bailarinos protestam dançando no meio dos carros e na faixa de pedestre, por exemplo. “A ideia é chamar a atenção para a precariedade do transporte público nas grandes capitais”, complementou Nascimento, que está à frente da companhia que leva seu nome há 15 anos. Para o diretor de “Parada 7”, o espetáculo tem uma participação relevante dos bailarinos, especialmente na hora da improvisação. “São momentos em que o elenco tem a liberdade de interagir com o público, dentro dos limites do conceito e da linguagem que a performance propõe”, disse. Para ele, este é um espetáculo que não precisa de palco, pois o palco é a própria cidade. “A dança se desenvolve em meio à rotina e à agitação do vaivém das pessoas”.

Parceria
A Cia. Mário Nascimento está produzindo, em parceria com o Corpo de Dança do Amazonas (CDA), uma performance moderna sobre o tema preservação, com previsão de estreia para o mês de novembro. Os dois grupos já haviam trabalhado juntos há dois anos, quando realizaram o espetáculo “Cabanagem”. De acordo com Nascimento, a nova produção vai contar com a participação da Amazonas Filarmônica e do DJ Marcos Tubarão. “A proposta é falar de preservação utilizando uma linguagem bem atual. Queremos mostrar o quanto a Amazônia é fundamental para o nosso futuro”, finalizou.

Saiba mais
Mário Nascimento adiantou que a companhia planeja realizar uma turnê nacional e internacional com o espetáculo “Parada 7”. Mais informações sobre a Cia. Mário Nascimento podem ser encontradas em http://ciamario nascimento.com.

Serviço
O que é: “Parada 7”, com a Cia. Mário Nascimento
Onde: Av. Getúlio Vargas, próximo à Av. 7 de Setembro, e Av. Eduardo Ribeiro, próximo ao Carrefour
Quando: Quinta-feira, dia 23, às 16h, e sexta, 24, às 10h
Quanto: Gratuito
Informações: http://horizontesurbanos.com